Doze Perguntas a Fazer Quando Está Pensando em Ficar Noivo

Um Amor Verdadeiro e Suficiente

Por Burton C. Kelly (Ensign, 1979)

Doze Perguntas a Fazer Quando Está Pensando em Ficar Noivo

Quando eu conheci o Mike e Elaine, eu percebi imediatamente que ambos tinham grande consideração um pelo outro. Quando os entrevistei em meu escritório, eu também pude constatar que eles eram um casal sério e preocupado com o desafio de uma das decisões mais importantes de suas vidas. Havia um traço de ansiedade em suas vozes. “Sim, nós amamos uns aos outros”, diziam, “mas o nosso amor é verdadeiro e suficiente para o casamento eterno?” Ambos tinham feito esta pergunta, discutido isso durante algum tempo, e orado a respeito isso. Mike disse que ele estava relativamente seguro de que Elaine era a sua eleita, mas Elaine não tinha tanta certeza. Como era ela poderia saber? Elaine estava com medo de errar nesta mais importante decisão.

Embora eles tivessem vindo de lares relativamente felizes, Mike e Elaine conheciam pessoas com casamentos muito infelizes, entre eles alguns de seus próprios amigos íntimos. Eram pessoas que tinham casado cheios de amor, acabaram se deparando com um casamento em estado de grande dificuldade. Uma das amigas da Elaine, casada no templo, havia lhe dito: “No dia seguinte ao meu casamento, eu já sabia que eu havia cometido um engano terrível.” Um amigo do Mike relatou como sua esposa o deixou três semanas após seu casamento no templo e como mais tarde eles acabaram se divorciando. Por conta disso, Elaine se sentiu com razão em se tornar cautelosa em sua decisão.

Por outro lado, ambos tinham amigos que diziam: “Meu casamento é a maior coisa que já aconteceu para mim”; “Eu nunca tive arrependimento algum de ter casado”; e “Eu achava que nos amávamos quando nos casamos, mas agora nosso amor é muito maior, sem comparação!”

Em ambas as experiências felizes e tristes, seus amigos sentiam no momento do casamento que estavam fazendo a coisa certa.

Ambos conheciam a declaração do Senhor a Oliver Cowdery: “Eis que não compreendeste; supuseste que eu o concederia a ti, quando nada fizeste a não ser pedir-me.

Mas eis que eu te digo que deves estudá-lo bem em tua mente; depois me deves perguntar se está certo e, se estiver certo, farei arder dentro de ti o teu peito; portanto, sentirás que está certo.

Mas se não estiver certo, não terás tais sentimentos; terás, porém, um estupor de pensamento que te fará esquecer o que estiver errado; portanto, não podes escrever aquilo que é sagrado a não ser que te seja concedido por mim.” (D&C 9:7-9)

Ambos concordavam que a única maneira que ter plena certeza era receber uma confirmação do Espírito Santo. Elaine perguntou: “Como saberei que realmente estudei o assunto adequadamente em minha própria mente? Como posso saber que eu realmente fiz a minha parte para que eu possa perguntar ao Senhor, sabendo que ele me dirá se minha escolha é a correta?”

Assegurei-lhes que sua pergunta era comum, enfrentada por praticamente todos os casais jovens em algum momento durante o namoro e noivado. Também os elogiei por seu cuidado na tomada de decisão. Eu sugeri que considerássemos as doze perguntas a seguir como diretrizes para a resposta:

1. Você são pessoas melhores quando estão um com o outro?

Será que cada um de vocês inspiram um ao outro a fazer o seu melhor em estudos, trabalhos, chamados da Igreja e outras responsabilidades significativas? Ou ambos vivem abaixo de seus padrões e ideais quando estão juntos? (Presidente Spencer W. Kimball classifica a motivação que leva à impureza sexual como Luxúria e não Amor.) Para o Presidente McKay, despertar (ou não) o melhor de si na presença do companheiro(a) é o critério mais importante.

2. Será que algum de vocês deseja sair/namorar com outra pessoa?

Se sim, vocês ainda não estão preparados para entregar-se totalmente um ao outro. Vocês não estão realmente preparados para viver o mandamento do Senhor: “Amarás tua esposa de todo o teu coração e a ela te apegarás e a nenhuma outra.” (D&C 42:22) O comprometimento pleno é extremamente necessário no casamento, e não é alcançado se você está interessado em namorar outra pessoa. Isso não significa que você não possa admirar ou se impressionar com pessoas do sexo oposto. Contudo, significa que você não terá interesse romântico em outras pessoas.

3. Vocês realmente desfrutam da companhia uns dos outros? Ou vocês simplesmente desfrutam uns dos outros quando estão fazendo coisas que gostam?

Uma característica marcante do verdadeiro amor está em desfrutar da companhia da outra pessoa, independentemente da atividade específica ou do momento. A alegria não precisa vir da atividade em si, mas simplesmente por estarem compartilhando momentos juntos. A companhia um do outro deve ser a principal fonte de satisfação, não a atividade.

4. Você se sente melhor consigo mesmo quando está com ele(a)?

Você se sente como uma pessoa de real valor, um filho de Deus? Poucas coisas na vida têm mais impacto sobre o que nos tornamos do que o que pensamos de nós mesmos. O nosso conceito próprio como pessoas de real valor e nossa identidade como filhos de Deus são primordiais. Vocês ajudam um ao outro a ter mais autoestima, ou você tende mais a encontrar os defeitos? É perfeitamente adequado encorajar uns aos outros a melhorar, mas isso deve ser feito em um espírito de amor. Se algum de vocês tende a se concentrar nas falhas do outro, seu amor pelo outro é questionável. Porque, como se diz nas escrituras, “A caridade [o puro amor de Cristo] é sofredora, é benigna; a caridade não é invejosa; a caridade não trata com leviandade, não se ensoberbece, não trata com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, não se alegra com a injustiça, porém se alegra com a verdade, tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” (1Cor. 13:4-7). O verdadeiro amor é ativamente criativo – leva à descoberta de métodos bem-sucedidos de melhorar ou contribuir para a vida do outro.

5. As necessidades dele(a) são tão importantes para você como suas próprias?

Ambos buscam continuamente maneiras adequadas de tornar o outro feliz? Ou cada um busca sua própria felicidade e interesses sem primeiro considerar as do outro? O verdadeiro amor “não busca os seus interesses.” (1Cor. 13:5)

6. Quando estão juntos, ambos se sentem livres para serem vocês mesmos ou precisam estar sempre se policiando?

Você precisa esconder o que realmente é? Ou você está confiante de que é totalmente aceito e amado? Infelizmente, a nossa sociedade, por vezes, incentiva a se mostrar indiferença, fazer “joguinho”, ou esconder parte de nós mesmos com os outros, especialmente em um relacionamento de namoro. Em uma relação de casamento, no entanto, cada parceiro deve ser livre para ser ele mesmo. Isso não significa que você deve compartilhar tudo; isso significa que você está livre para compartilhar quando surge a necessidade.

Esta liberdade também significa que cada um tem a consciência limpa. Se um de vocês cometeu alguma transgressão grave no passado mas ainda não se arrependeu plenamente, você não está preparado para entrar no casamento. Você não pode aceitar outra pessoa verdadeiramente sem primeiro aceitar plenamente a si mesmo. Também não se pode dar completamente de si mesmo quando a barreira da culpa existe.

7. Você está preparado para se casar com a família de seu parceiro em potencial?

Embora você possa pensar que você só se casa com uma pessoa, em um sentido real, você se casa com uma família inteira. Os pais de seu cônjuge tornam-se os avós de seus filhos. Ambos se sentem bem sobre isso – e sobre a influência que isto terá sobre seus filhos? Mesmo quando separados por grandes distâncias, ainda há um envolvimento significativo com as famílias uns dos outros.

Ambas famílias apoiam sua decisão de se casar e os apoiarão também em suas decisões futuras? Conflitos não resolvidos com um ou dois lados das famílias exercerão uma pressão adicional em seu relacionamento.

8. Como cada um de vocês trata seus próprios pais?

Vocês os respeitam como indivíduos e respeitam a posição e autoridade deles? É provável que você irá tratar seu cônjuge da mesma forma como trata sua própria família.

9. Como cada um de vocês se sente sobre seu cônjuge no papel de pai/mãe de seus filhos?

Mike, a Elaine será o tipo de mãe que você realmente deseja para seus filhos? E você desejará que seus filhos sejam como ela é? (pois eles provavelmente serão) Da mesma forma, Elaine, você terá que fazer a mesma pergunta sobre Mike como o pai de seus filhos. Vocês são atualmente, ou estão se tornando, o tipo tipo de pessoas que vocês gostariam que seus filhos se tornassem? Vocês já conversaram sobre seus objetivos como futuros pais? E ambos concordam e aceitam o plano do evangelho de trazer os filhos do Pai Celestial a seus lares?

10. Cada um de vocês aceita a ordem patriarcal? Para você, Elaine, o Mike é o tipo de portador do sacerdócio que você realmente confia?

Você está disposta a aconselharem-se juntos com amor, mas se necessário, respeitar e apoiar o conselho de seu marido em retidão e segui-lo num espírito de vontade genuína? O Mike pede a sua opinião sobre assuntos que envolvem a ambos? Você tem plena fé e confiança de que pode pedir a ele para te dar uma bênção especial quando você desejar? O Mike honra seu sacerdócio de modo que será capaz de abençoar seus filhos em momentos de doença ou outras necessidades?

Para Mike: Você obedece plenamente seus líderes do sacerdócio em retidão? Você está disposto a ser um exemplo de obediência aos líderes para Elaine e seus futuros filhos? Você ama e respeita-a suficiente de modo a considerar cuidadosamente suas ideias e sentimentos e tomar todas as decisões possíveis juntos? Você está disposto a seguir as ideias de sua esposa quando elas parecerem mais inspiradas e corretas do que suas próprias? Uma vez que um assunto tenha sido ponderado cuidadosamente e em espírito de oração, a Elaine aceitará a decisão final de boa vontade, ou se rebelará contra? Você confia que através do exemplo dela, seus filhos aprenderão a ser obedientes às suas orientações justas? Será que a Elaine te inspira a ser um líder do sacerdócio justo em seu lar?

11. Qual será o destino de vocês juntos? Seu destino potencial é o de Deus e Deusa. Se cada um de vocês continuar a progredir da forma como estão agora, é provável que alcancem a divindade? Será que o seu futuro companheiro te ajudará a alcançar esse grande destino?

Vocês dois aceitam a lei da perfeição e do princípio do progresso eterno? Será que cada um de vocês consegue ver um ao outro tornando-se perfeito? (Se qualquer um vê o outro como quase perfeito agora, talvez você deva começar a ser mais realista). Ambos aceitam e querem ajudar-se mutuamente a alcançar o destino de uma divindade?

A este ponto, você pode estar se perguntando se todos esses critérios têm o mesmo peso. Todas estas perguntas devem ser respondidas afirmativamente para você se sentir confiante em sua decisão? Minhas experiências com muitos casais indicam que todos estes critérios são importantes. A maioria destas perguntas são mais do que importantes; elas são críticas. No entanto, isso não significa que todas são igualmente importantes e, talvez, se um ou dois destes critérios não são totalmente preenchidos, o deficit não é insuperável. Você terá de ponderar o risco e decidir.

12. A diretriz final, número doze, é muito importante: depois de considerar cuidadosamente as perguntas anteriores e, em seguida, chegar a uma decisão, você teve sua decisão confirmada pelo Senhor?

Para esta confirmação final você deve inquirir ao Senhor somente após “estudá-lo bem em tua mente. (D&C 9:8)” Você deve ter em mente que até mesmo o Profeta “Joseph tinha de orar o tempo todo, exercer fé, viver sua religião e magnificar seu chamado para receber as manifestações do Senhor, e para mantê-lo firme na fé” (Journal of Discourses, 2: 257).

Um dos problemas que muitos jovens têm em inquirir ao Senhor em busca de uma confirmação é que eles querem que o Senhor lhes dê somente a resposta que querem, ao invés de Sua resposta. Para receber uma resposta, é necessário aproximar-se ao Senhor com uma mente verdadeiramente aberta e uma vontade de aceitar o que seja que o Senhor disser. Com essa atitude, você estará preparado para ouvir e acatar o conselho do Senhor.

Você pode estar se perguntando como a sua decisão será confirmada pelo Espírito Santo. Haverá alguma manifestação extraordinária, como um sonho, visão ou uma voz? Em alguns casos, sim, mas na maior parte, provavelmente não. Além do “ardor no peito” ou o oposto “espírito das trevas”, há outros indicadores. Em uma revelação dada a Hyrum Smith, o Senhor disse: “Põe tua confiança naquele Espírito que leva a fazer o bem — sim, a agir justamente, a andar em humildade, a julgar com retidão; e esse é o meu Espírito. Em verdade, em verdade eu te digo: Dar-te-ei do meu Espírito, o qual iluminará tua mente e encher-te-á a alma de alegria”. (D&C 11:12-13, grifo do autor) Para Oliver Cowdery o Senhor disse “Sim, eis que eu te falarei em tua mente e em teu coração, pelo Espírito Santo que virá sobre ti e que habitará em teu coração.”

“Ora, eis que este é o espírito de revelação” (D&C 8:2-3) Além disso, a Oliver o Senhor disse:

“Eis que tu sabes que me inquiriste e que te iluminei a mente; e agora te digo estas coisas para que saibas que foste iluminado pelo Espírito da verdade

“Em verdade, em verdade eu te digo: Se desejas mais um testemunho, volve tua mente para a noite em que clamaste a mim em teu coração a fim de saberes a respeito da veracidade destas coisas

“Não dei paz a tua mente quanto ao assunto? Que maior testemunho podes ter que o de Deus?” (D&C 6:15, 22-23; grifo do autor). Adicionalmente, nas palavras do Presidente Brigham Young,” Podem os homens viverem de tal forma que possam ter o sereno, abençoado, calmo, suave e calmante Espírito do Senhor sempre habitando com eles? Sim eles podem. … Podem as mulheres? Elas podem” (Journal of Discourses, 5: 169)

Sim, por meio de ponderação cuidadosa, estudo, jejum e oração, cada um de vocês pode vir a saber se seu amor é verdadeiro e suficiente para o casamento. Você pode saber se está ou não fazendo a escolha certa. No entanto, você ainda precisa se lembrar das palavras de Néfi: ” depois de haverdes entrado neste caminho estreito e apertado, eu perguntaria se tudo terá sido feito. Eis que vos digo: Não; porque não haveríeis chegado até esse ponto se não fosse pela palavra de Cristo, com fé inabalável nele…

” Deveis, pois, prosseguir… banqueteando-vos com a palavra de Cristo, e perseverardes até o fim.” (2 Ne 31:19-20.) Você deve continuar a viver de acordo com as diretrizes que permitiram que você tomasse a sua decisão inicial. Sei que o Senhor irá abençoá-lo na tomada desta decisão mais importante à medida que o faça de acordo com o Seu conselho.

FONTE:
Original em inglês A True and Sufficient Love disponível em Ensign, 1979: 
https://www.lds.org/ensign/1979/02/a-true-and-sufficient-love?lang=eng

Burton C. Kelly, conselheiro/professor na Universidade Brigham Young e pai de nove filhos, serve como sumo-conselheiro na Estaca Orem Utah South Central.

Tradução: Guilherme Blanski Küster

SUDBR © 2017. A visão exposta no artigo representa a opinião do autor e não necessariamente a posição da Igreja. Este website não é afiliado ou propriedade de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Para a posição oficial da igreja acesse LDS.org site oficial; Veja também os links no artigo.


Você pode gostar...

SUDBR © 2017. Todos os Direitos Reservados. É proibída a reprodução total o parcial do conteúdo sem autorização expressa do Editor. O material disponível para download é para uso pessoal sem fins lucrativos, você não está autorizado a distribuir este(s) arquivo(s) de qualquer forma seja eletronicamente ou por qualquer outro meio.


Seja o Primeiro a Comentar

Deixe aqui sua opinião, dúvida ou elogio sobre "Doze Perguntas a Fazer Quando Está Pensando em Ficar Noivo".


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia nossa Política de Comentários