CAIM filho da Perdição, sua trajetória

CAIM oferta ao Senhor o fruto da terra

Na atualidade, muitos podem dizer que Deus não é um Senhor compreensivo, afinal, Caim era lavrador de terra (Gênesis 4:2) então como iria fazer outra oferta senão frutos? Diversas vezes questionamos o Senhor de forma semelhante, quando não aceitamos a maneira Dele e simplesmente queremos fazer à nossa.

O poder, glória e bênçãos do Sacerdócio não poderiam continuar com aqueles que receberam a ordenação a não ser que continuassem em retidão; porque Caim também foi autorizado a oferecer sacrifícios, mas por não oferecê-los em retidão, foi amaldiçoado. Isso significa, portanto, que as ordenanças precisam ser mantidas exatamente como Deus as determinou; caso contrário, o Sacerdócio será uma maldição, ao invés de uma bênção.” 6 (“Capítulo 8: O Sacerdócio Eterno,” Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007)

Desde o início, Caim amou Satanás mais que a Deus. A oferta que Caim fez ao Senhor, por obediência a Satanás, não foi em ignorância (Moisés 5:18-19). Será que Caim realmente esperava aceitação de sua oferta pelo Senhor, uma vez que fôra Satanás, o próprio inimigo de Deus, quem o instruíra? Quem determina a forma de usar o sacerdócio é o Senhor. Assim fica evidente o por que do Senhor ser firme com Caim, não atentando a sua oferta. Isso alegrou a Satanás (Moisés 5:21; Gêneses 4:5).

E o Senhor disse a Caim: Por que estás irado e por que te decaiu o semblante? Se bem fizeres, serás aceito. E se bem não fizeres, o pecado jaz a tua porta e Satanás deseja possuir-te; e a menos que dês ouvidos a meus mandamentos, entregar-te-ei, e será feito a ti, segundo seu desejo. E tu reinarás sobre ele. Pois de agora em diante tu serás o pai de suas mentiras; serás chamado Perdição; pois também existias antes do mundo. E será dito em dias futuros que essas abominações vieram de Caim; pois ele rejeitou o conselho maior que vinha de Deus; e essa é uma maldição que porei sobre ti, a menos que te arrependas.

E irou-se Caim e não mais deu ouvidos à voz do Senhor nem à de Abel, seu irmão, que andava em santidade perante o Senhor. (Moisés 5:22-26)

O Senhor chama seus filhos ao arrependimento, seja pelo espirito santo ou pelos líderes, ao rejeitar agimos como Caim; de outra forma orgulhosamente quando rejeitamos o modo do Senhor e fazemos à nossa maneira. Não podemos alegar ignorância quando apropriadamente instruídos fomos.

CAIM, o Mestre Maã (Master Mahan)

Caim e sua família amavam a Satanás mais que a Deus (Moisés 5:28). Ama-se a Satanás mais que a Deus quando a vontade do Senhor não é refletida em atitudes, quando deliberadamente não se cumpre os mandamentos ou simplesmente justifica-se atitudes erradas. Sim, Caim amou a Satanás por não aceitar ser repreendido pelo Senhor.

Em decorrência, Caim faz uma aliança com Satanás.

Juramento a Satanás

E Satanás disse a Caim: Jura-me por tua garganta e, se o revelares, morrerás; e jurem teus irmãos pela cabeça deles e pelo Deus vivente, que não o revelarão; porque, se o revelarem, certamente morrerão; e isso para que teu pai não o saiba; e neste dia entregarei teu irmão Abel em tuas mãos. E Satanás jurou a Caim que agiria de acordo com suas ordens. E todas essas coisas foram feitas em segredo. E Caim disse: Na verdade eu sou Maã, o senhor deste grande segredo, para que eu possa matar e obter lucro. Portanto Caim foi chamado Mestre Maã e vangloriou-se de sua iniqüidade. (Moisés 5:29-31)

Satanás entregou Abel para que fosse assassinado por Caim, em segredo. Juramento este feito sob pena de morte com o intento de assassinar e lucrar.

Portanto o Senhor vos ordena que quando virdes essas coisas surgirem entre vós, estejais conscientes de vossa terrível situação por causa desta combinação secreta que existirá entre vós; ou ai dela, em virtude do sangue daqueles que foram mortos; porque eles clamam desde o pó por vingança contra ela e contra os que a instituíram. Pois acontece que quem a institui visa destruir a liberdade de todas as terras, nações e países; e causa a destruição de todos os povos, pois é instituída pelo diabo, que é o pai de todas as mentiras; o mesmo mentiroso que enganou nossos primeiros pais, sim, o mesmo mentiroso que fez com que o homem cometesse assassinatos desde o princípio; que endureceu o coração dos homens a tal ponto que mataram os profetas e apedrejaram-nos e expulsaram-nos desde o princípio. (Eter 8:24-25)

Caim mata Abel e se vangloria

Após matar Abel, Caim se vangloria dizendo estar livre, visando obter lucro do assassinato saqueando o rebanho do irmão morto (Moisés 5:32-33; Gêneses 4:8). O que Caim não esperava é que o Senhor iria confrontá-lo dando a ele mais uma oportunidade.

Onde está Abel?

Apesar de Deus saber a resposta, esta não foi uma pergunta retórica; seria outra oportunidade dada por Deus a Caim para se redimir. Essa entrevista parece a feita a Adão e Eva logo após comerem do fruto (Moisés 4:15-19). Diferentemente de Caim, seus pais responderam com verdade, prontamente. Caim havia jurado a Satanás e falar a verdade ao Senhor implicaria em quebrar esse juramento; quem Caim amou mais?

A resposta ao Senhor evidenciou onde estava seu coração, mantendo em segredo seus atos sórdidos (Moisés 5:34-35; Gêneses 4:9-10).

Deus conhece toda a verdade, Ele não precisa de um réu confesso para condenar um pecador. Ele aceita a confissão como introdução ao verdadeiro arrependimento. Em nenhuma das vezes Caim foi humilde pois recusou todas as oportunidades.

Caim só admite seu pecado após conhecer sua terrível condição, demonstrando tamanha covardia ao quebrar até seu juramento a Satanás (Moisés 5:38; Gênese 4:13).

Maldição do Senhor a Caim

Moisés 5: 23-2436-41 e Gênesis 4:11-16

(1) Será um filho da Perdição“E tu reinarás sobre ele. Pois de agora em diante tu serás o pai de suas mentiras; serás chamado Perdição”

(2) A terra que “recebeu de tua mão o sangue de teu irmão” “não te dará mais sua força” quando lavrares; portanto será fugitivo e vagabundo. (Moisés 5:36-37) Ou seja, ele não conseguiria mais trabalhar pelo seu sustento e seria fugitivo e vagabundo.

Caim sabendo que seria expulso e que não teria mais como lavrar a terra, disse que o castigo era maior que poderia suportar; justificando, então, que pecou por que Satanás o influenciara. Caim racionalizou imaginado que seu pecado lhe resultaria em alguns açoites e que na balança lucraria com o rebanho de seu irmão. Caim conhecia Deus e sabia que diferentemente de Satanás o Senhor não volta em sua palavra. Sabia que seu pecado não seria um segredo.

(3) O Senhor marcou “um sinal em Caim” para que não o matassem, pois quem o matasse seria castigado sete vezes mais. O Senhor amaldiçoa e destrói os iníquos para proteger os justos. A marca de Caim serviu como  lembrança aos que o procurassem para matar com sede de justiça. Tal marca não seria para proteger Caim, mas lhe serviu de maldição, provavelmente para que seu sofrimento fosse estendido ou até mesmo proteger os justos de serem amaldiçoados na tentativa de vingar Abel.

O Presidente John Taylor explica o motivo do Senhor destruir os iníquos:

(…) e assim será com cada homem que luta contra Sião; e se alguém não acreditar nisso, deixe-o tentar, e ele descobrirá antes que perceba que há um Deus que governa nos céus, e que ele passa o dia clamando: “Não toqueis os meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas.” (Salmos 105:15; I Crônicas 16:22) E disse em outra ocasião, “Mas qualquer que fizer tropeçar um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho, e se submergisse na profundeza do mar.” (Mateus 16:22)

Assim é como leio a Bíblia. Eu encontro em destaque as escrituras, que desde o início existiram dois poderes – os poderes da luz e os poderes das trevas; que ambos existiram nos céus antes deles viram aqui, que os poderes das trevas foram expulsos, “e assim surgiram o diabo e seus anjos” (D&C 29:37) Esta oposição, então, existia antes, e é necessário que exista. Ela é necessária aos homens para que sejam provados, purgados, purificados e aperfeiçoados através do sofrimento. Portanto, encontramos homens nas diferentes épocas que passaram por provações e aflições de todo tipo, e eles tiveram que aprender a colocar sua fé em Deus, e somente em Deus. Tal foi a maldade e corrupção dos homens no incio dos tempos que foi necessário Deus varrer da face da terra por um dilúvio, a fim de privar os homens do seu poder de fazer o mal.

Já ouvi algumas pessoas dizerem que achavam muito difícil para Deus fazer algo assim. Acho que seria muito cruel da parte Dele se Ele não tivesse feito isso. Por quê? Porque o homem é um ser dual, associado com o tempo e eternidade, estando na posse de um espírito e um corpo; e como Deus é o Deus e Pai dos espíritos de toda a carne (Num. 27:16; Num. 16:22que já existiu ou existirá na terra, foi necessário, em determinadas circunstâncias, que Ele agisse em seu julgamento sobre os ímpios, sempre que eles tornaram-se tão corrupto, como fizeram em épocas. Por que isso? Porque Deus é o Deus e Pai dos espíritos de toda a carne (Num. 16:22; Num. 27:16e toda a carne naquele tempo havia se corrompido. E seria justo para aqueles espíritos que ainda não nasceram ter que vir e habitar corpos vindos daquelas pessoas impuras e corruptas, e ter que sofrer os juízos de Deus? Não, não seria justo; e seria muito razoável para eles, dizer: “Pai, olha aquele mundo; veja seus crimes, sua degradação, a sua maldade, furtos e roubos, assassinatos e suas prostituições, e todo tipo de mal; eles deixaram o bem e são maus, e as imaginações e pensamentos de seus corações são maus; (Gênesis 6:5; Moisés 8:22)

Pai, ele próprio tem que ir lá e habitar esses, caído, corpos degradados como eles possuem, e, portanto, não tem uma chance justa sobre a terra? Não, diz ele, não é; e eu vou destruí-los e levantar outro povo. E, portanto, ele destruiu. Mas o espírito de oposição a Deus foi extinto por este ato? Não, ele ainda continuou a trabalhar. 

(POWER AND EFFECTS OF THE GOSPEL — ANTAGONISM BETWEEN LIGHT AND DARKNESS — NECESSITY OF GOD’S JUDGMENTS UPON THE WICKED.DISCOURSE BY PRESIDENT JOHN TAYLOR, DELIVERED IN THE TABERNACLE, SALT LAKE CITY, JULY 6, 1879 – JORNAL OF DISCOURSES, pp.300-307)

Com as palavras do Presidente Taylor fica claro que Deus não permite que o mal prevaleça, para que a maldade e corrupção do coração dos homens não oprimem o plano Dele. Portanto não seria o modo do Senhor amaldiçoar Caim para não morrer. Se Caim não foi amaldiçoado a viver para sempre porque há um ensinamento sobre isso?

Equívoco a respeito da Maldição de Caim

Tal  equívoco a respeito da maldição de Caim dá-se por conta de uma única referência no livro Milagre do Perdão (Spencer W. Kimball) pp. 127-128:

Concernente ao deplorável personagem que é Caim, temos uma interessante história extraída do livro de Lycurgus A. Wilson sobre a vida de David W. Patten. Desse livro cito um extrato de uma carta escrita por Abraham O. Smoot contando suas recordações do relato de David Patten ao encontrar-se com “uma Pessoa invulgar e que se apresentou como sendo Caim.”

Estava cavalgando em minha mula quando de repente notei um personagem bastante estranho caminhando ao meu lado (…) Eu estava sentado na sela, e ele tinha a cabeça na altura de meus ombros.
Ele não usava roupa nenhuma, mas era todo coberto de pelos. Tinha a pele bem escura. Perguntei-lhe onde morava e ele respondeu-me que não tinha casa, que vagava por toda a Terra, que viajava para cá e para lá. Disse que era uma criatura miserável, que enquanto na mortalidade fez todo o possível para morrer, mas que não conseguiu, e que sua missão era destruir a alma dos homens. Ao ouvir essas coisas, eu o repreendi em nome do Senhor Jesus Cristo e pelo poder do Santo Sacerdócio, e ordenei-lhe que fosse embora, e imediatamente sumiu do alcance de meus olhos (…)
(Lyccurgus A. Wilson, Life of David Patten, Salt Lake City: Deseret News, 1900, p.50)

Fazendo uma primeira leitura parece evidente que Caim não morreu. David Patten cita as seguintes palavras como sendo de Caim: que não tinha casa, que vagava por toda a Terra, que viajava para cá e para lá. Disse que era uma criatura miserável, que enquanto na mortalidade fez todo o possível para morrer, mas que não conseguiu, e que sua missão era destruir a alma dos homens.

Ao acreditar nas palavras de Caim temos a afirmação que mesmo fazendo todo o possível para morrer ele não foi bem sucedido em conseguir morrer.

Pai da Mentira

Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira. (João 8:44)

Gostaria lembrar algo. Caim tem o Diabo por pai, como tal é um filho da mentira. E como sabemos seres descaídos lançam toda sorte com o intuito de enganar os filhos de Deus, a estratégia que muito bem conhecemos é mesclar verdades com mentiras. Sendo assim é difícil discernir o que é verdade na declaração de Caim.

Interpretação da frase

Mas supondo que Caim não mentiu para David Patten. Entrando no mérito da interpretação desta única frase: ENQUANTO NA MORTALIDADE FEZ TODO O POSSÍVEL PARA MORRER, MAS QUE NÃO CONSEGUIU. Afirmar a falha da tentativa de morrer, pois ele diz que NÃO CONSEGUIU dá margem para pensar que Caim não morreu. Porém o termo ENQUANTO NA MORTALIDADE dá um entendimento de como se não estivesse mais na mortalidade. Esta frase como afirmação de Caim de fato é o grande motivo que muitos santos declaram que Caim vive, declaração essa que eu não compartilho e tentarei levar a todos o motivo de eu não afirmar que Caim vive.

Se tivéssemos a seguinte frase: MEU PAI ENQUANTO NA VIDA FEZ TODO O POSSÍVEL PARA FELICIDADE DE SEUS FILHOS É categórico afirmar que o pai não vive? É bem claro que este pai está morto e isso independe do fato do pai ter conseguindo ou não fazer os filhos felizes.

O entendimento final sobre a frase de Caim é que pelas suas próprias ações ele não conseguiu dar término a sua vida. Pois ele tentou fazer todo o possível para morrer e não conseguiu, ou seja não conseguiu morrer pelas suas ações. Ele tentar morrer não significa que viveria para sempre. Ao analisar tentativas de suicídio sem sucesso qualificaria tal suicida como imortal? Não

Quem David W. Patten viu?

Caim, o ser deplorável citado pelo Presidente Kimball,  mas não em carne como se entende em uma primeira leitura. Qual ser, ao ser expulso pelo poder do Santo sacerdócio, imediatamente some do alcance dos olhos, se não os espirituais?

CAIM e sua morte

Qualquer afirmação sobre como de fato Caim morreu não passaria de especulação por não haver uma escritura ou declaração que afirme em qual ocasião e como ocorreu. Porém existem diversas evidenciarias que afirmam a morte de Caim.

Juramento com Satanás

Ao confessar ao Senhor que foi tentado por Satanás, Caim quebrou o juramento que fez à Satanás. Será que Satanás não cumpriria sua promessa e assassinaria Caim de alguma forma?

Diluvio

O Senhor usou o dilúvio para purificar a terra da iniquidade dos homens, no qual somente oito almas sobreviveram (I Pedro 8:20). Se Caim sobrevivesse por tanto tempo do dilúvio não teria passado. É claro que sua semente continuou.

 

 

Fontes:

POWER AND EFFECTS OF THE GOSPEL—ANTAGONISM BETWEEN LIGHT AND DARKNESS—NECESSITY OF GOD’S JUDGMENTS UPON THE WICKED.DISCOURSE BY PRESIDENT JOHN TAYLOR, DELIVERED IN THE TABERNACLE, SALT LAKE CITY, JULY 6, 1879 – JORNAL OF DISCOURSES, pp. 300-307 p300, p301, p302, p303, p304, p305, p306 e p307

Milagre do Perdão (Spencer W. Kimball) pp. 127-128

SUDBR © 2017. A visão exposta no artigo representa a opinião do autor e não necessariamente a posição da Igreja. Este website não é afiliado ou propriedade de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Para a posição oficial da igreja acesse LDS.org site oficial; Veja também os links no artigo.


Você pode gostar...

SUDBR © 2017. Todos os Direitos Reservados. É proibída a reprodução total o parcial do conteúdo sem autorização expressa do Editor. O material disponível para download é para uso pessoal sem fins lucrativos, você não está autorizado a distribuir este(s) arquivo(s) de qualquer forma seja eletronicamente ou por qualquer outro meio.


COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 Resultados

A visão exposta nos comentários não representa necessariamente a posição da Igreja. Os comentários também não representam a opinião do SUDBR. A responsabilidade é inteiramente do autor do comentário. Leia nossa Política de Comentários


  1. Cleilton disse:

    Amei seu artigo. É bom ver eruditos SUD. Só queria saber a questão de Lameque também ser um mestre Maã e sua participação neste “convênio ” feito com o inimigo.

  2. Diogo disse:

    O artigo é excelente, senti muito forte o espírito testificando verdades ditas por esse artigo. Creio que o versículo 31, 48 e 49 de Moisés 5 na PGV dão um pista da morte de Caim e de sua própria semente outro Mestre Maã foi colocado em seu lugar.

    • Sempre gostei desses versículos. Porém não há como afirmar quem Lameque matou ou se somente pode haver um Mestre Maâ. Entretanto são versículos que nos ajudam a compreender que não há porque Caim estar vivo.

  3. lope5 disse:

    Excelente artigo, como é bom encontrar no meio de tanta descrença e podridão na internet, pessoas como os bons irmãos desse maravilhoso site, falando de temas tão interessantes do evangelho, obrigado

  4. Rodrigo disse:

    Muito interessante tal pesquisa, aplicação e ponto de vista. Sobre a morte de Caim esse argumento foi bem válido, não havia reparado nesses detalhes. Acrescentaria o trecho de alguns apócrifos (apesar de sabermos que há erros neles) que relatam ou citam a morte de Caim (Livro de Jaser capítulo 2, por exemplo).

    • Por favor insira aqui nos comentários tais versículos apócrifos.

      • Mike disse:

        @Leandro Ginatto: Bom sem ofensa, mas entre vc e um apóstolo, fico com o apóstolo e com o profeta. Não creio que o dilúvio seria suficiente para matar Caim uma vez que ele não poderia morrer e quem garante que ele não costruiu um barco para si mesmo, uma vez que ele é profundo conhecedor dos poderes do Pai Celestial, entao creio que ele ouviu a voz do profeta Noé.
        Não creio que Kimbal iria escrever algo com duplo sentido, e para mim esta claro e não da margem a interpretação.

        • @Mike: Irmão não fico ofendido de forma alguma, mesmo porque está correto em escolher um apóstolo a qualquer outra pessoa.

          Mas gostaria de fazer algumas observações.

          Caim pode ter conhecimento e muito mais que nós, mas se ele conhecesse profundamente o poder do Pai Celestial ele não se tornaria o filho da perdição. E sinceramente se caim tivesse vivido até Noé, algo que não acredito e não afirmo, ele não teria construído um barco nem entrado na arca de Noé, uma ideia infeliz do cinema.

          Gostaria de indicar que o irmão releia os trechos do Milagre do Perdão para confirmar o que vou dizer.
          (1) O relato de Caim em Milagre do Perdão é uma transcrição da transcrição, Não foi relatado ou vivenciado pelo Presidente Kimball, Inclusive tal relato foi primeiramente trasncrito por Lyccurgus A. Wilson em um livro que acredito ter sido uma bibliografia do apóstolo;
          (2) Presidente Kimball ou qualquer outro apóstolo em nenhum momento afirmou que Caim estava mortalmente presente;
          (3) No Milagre do Perdão o Presidente Kimball usou tal história para exemplificar o ser deplorável que Cain se tornou, mostrando a que o pecado leva; E não para dizer que Caim permaneceu na terra vivo e mortal (em outras palavras imortal), não há nenhuma referencia apostólica que leve a tal raciocino.

          Mas se procurarmos entender o poder de imortalidade que o Senhor garante a poucos esse é uma dádiva e não condenação.

          Portanto não foi Presidente Kimball que escreveu. E sim é evidente o duplo sentido, pois se não houvesse não aconteceria de dois ungidos do Senhor debatendo esse assunto. E não digo que o debate é ruim, pelo contrário é edificante, e não influencia em nossa dignidade e serviço como portadores do sacerdócio, desde que há respeito e o sentimento de irmandade que maneia o sacerdócio.

          Agradeço por comentar e por ler nosso material.

        • Mike disse:

          @Leandro Ginatto: não ha provas da morte de Caim, tão pouco da imortalidade do mesmo. O que há é a maldição. Caim tem sim um profundo conhecimento no que se refere ao plano e também do Pai Celeste. Pois foi por causa do conhecimento dele que a maldição foi lhe aplicada.
          Não ha o que discutir, ore e pessa sabedoria ao Pai e Ele lhe dara livremente.

        • Concordo claramente que não há o que discutir, principalmente aos que recebem sabedoria do pai. Eu amo o evangelho, e sou grato por fazer parte dele. O propósito é discutir diferentes opiniões, mas é claro que quando um profeta fala cala-se a discussão, ainda não li nada oficial de um profeta nisso. Enquanto isso adoro debater o assunto, de maneira respeitosa sem querer convencê-lo do meu ponto de vista, mas o defendo e defendo seu direito de defender o sua opinião.

          Verdade que não há prova que Caim não morreu, assim como não há prova que Hitler morreu, mas o fato de não haver prova da morte de Hitler podemos de alguma forma afirmar que ele está vivo atualmente? Alguns podem alegar que Hitler não recebeu a maldição de Caim, sim isso é verdade, mas onde na maldição de Caim garante a ele imortalidade? Este é o ponto de todo o artigo que escrevi, também não garante que ele não poderia morrer ou ser assassinado. A garantia é que quem matá-lo seria amaldiçoado.

        • Thiago disse:

          Bom para elucidar Caim poderia ter conhecimento mas a torre de babel estava sendo construída para ser um templo o que ocorreu é que não foi a maneira do senhor então logo eles foram amaldiçoados então Caim não construiu um barco partindo desse pressuposto é muita maldição para uma só pessoa.