Por que temos aflições?

Como as aflições e adversidades podem nos ajudar a ser como o Senhor Jesus Cristo.

Durante o meu período no seminário, instituto e principalmente durante a missão vivi experiências que fizeram com que eu reconhecesse a mão do Senhor ajudando. E que a cada experiência que tive, por mais dolorosa que fosse, eu progredi. Adquirindo assim, cada vez um pouco mais de experiência de vida, paciência diante das dificuldades, fé no Senhor Jesus Cristo, esperança de obter perdão dos pecados e caridade para com o próximo.

O objetivo desse artigo é o de expor as escrituras, citações e discursos que em algum momento de minha vida tiveram um significado especial para mim ou para alguma pessoa querida. Durante a missão foram incontáveis os estudos realizados para ajudar outras pessoas. Eu não espero resultar em estudo exaustivo do assunto, mas sim mostrar como há inúmeras escrituras que podem ser aplicadas a nós assim como Néfi aplicou as escrituras a si mesmo e à sua família, para proveito e instrução (1 Néfi 19:23). Na verdade espero que essas escrituras possam fazer a diferença na vida de outras pessoas, como fizeram na minha.

Vamos continuar com Néfi, filho e Leí e Saria. Mesmo sendo obediente e filho do profeta Leí, passou muitas aflições, e ao colocar em prática a instrução e o conhecimento que recebeu de seus pais foi favorecido pelo Senhor e assim conheceu a bondade do Senhor (1 Néfi 1:1). Vejam que Néfi primeiro recebeu a instrução e teve que passar por aflições vivendo de acordo com essa instrução, para então conhecer a bondade do Senhor.

Em um dos momentos mais difíceis de sua vida, Néfi ensinou a coisa mais valiosa que aprendi nas escrituras, que o Senhor nos escolheu por causa de nossa Fé, para que suas ternas misericórdias estejam sobre nós e para nos tornar fortes com poder de libertação (1 Néfi 1:20). Ou seja, só depende de cada um de nós. Cabe a nós agirmos como escolhidos do Senhor.

O próprio Senhor Jesus Cristo diz por que escolheu os doze discípulos com mais alguns para receber o Espírito Santo e para serem purificados de seus pecados. Foi por causa de crença Nele (3 Néfi 19:20). Sim sua Nele (3 Néfi 19:28).

O Senhor avisou, todos estariam sujeitos às adversidades com o passar dessa vida (Mateus 5:45 e João 16:33). Precisamos aprender que por meio de tribulações nos qualificamos para entrar no reino de Deus (Atos 14:22)!

Voltemos para Néfi, que por exemplo tinha os atributos de Cristo e ainda assim sofreu muitas aflições (1 Néfi 2:16-19). O Senhor preservou os lamanitas para serem usados como um flagelo para que os nefitas fossem lembrados de seguir e obedecer ao Senhor (1 Néfi 2:22-24). Esse é um princípio ilustrado pela parábola do trigo e do joio (Mateus 13:24-30), o Senhor deixa os justos (trigo) e os injustos (joio) crescerem juntos para que a fé dos justos seja fortalecida (D&C 86:1-7). É por isso que o Senhor deixa que outras pessoas nos façam sofrer.

Não há dúvidas de que se nesse exato momento o Senhor tirasse todos os injustos do nosso meio, pararíamos de progredir. Não haveria provas para nós e começaríamos regredir. O Presidente Pizzirani¹ disse: “Não tenho medo de desafios. Eu tenho medo somente de não ter desafios, porque sei que a regressão é mais rápida do que o progresso” (Guia de Liderança MBB² p.3). E por causa desse regresso estaríamos perdidos. Seria como se nós fôssemos arrancados juntos com os injustos assim como o trigo seria arrancado junto com o joio (Jesus o Cristo p.277-278).

Como sou grato por Deus ter permitido que viéssemos aqui para “[…] ganhar experiência e conhecimento, e tornarmos como Ele depois desta vida […]”! Isso ajuda a guiar todas as decisões em minha vida (Livreto O Evangelho de Jesus Cristo p.15).

Deus não se regozija com nossas aflições, Ele chora conosco. No relato de Moisés, depois de Sião haver sido arrebatada Enoque viu a situação dos habitantes da Terra, era terrível! Viu também o poder e a atitude de escárnio de Satanás (Moisés 7:23-26)! Imagine como Deus se sentiu? Como nos sentimos? Deus chorou, muito. Ao ponto de Enoque perguntar: “Como é que podes chorar…?” (Moisés 7:28-29).

Então Deus começou a explicar tudo que havia feito pelos habitantes da Terra, seus filhos, sua criação e o sofrimento do Escolhido. Ensinou o destino eterno deles por causa de suas obras (Moisés 7:32-40). E então Enoque começou a chorar e ficar inconsolável, Mas o Senhor disse: “Anima-te e alegra-te;” (Moisés 7:41, 44). Esse convite foi feito: “Anima-te e alegra-te; e olha. [Pois…] conheces a grandeza de Deus; e ele consagrará tuas aflições para teu benefício.” (2 Néfi 2:2)!

Nem sempre as aflições vêm por causa apenas de outras pessoas. Às vezes o Senhor deseja nos testar, nos provar e nos ensinar (Mosias 23:21), para então conceder bênçãos maiores como no caso de Abraão.

Abraão e sua esposa Sara ainda não tinham filhos e não tinham descendência alguma e já eram avançados em idade. (Abraão tinha 100 anos e Sara 90 anos) (Gênesis 17:17). Não há nada que seja difícil ao Senhor… (Gênesis 18:14) e então o Senhor prometeu um filho a Abraão e Sara. Isaque (Gênesis 17:15-16).

Imagine que alegria deve ter sido para Abraão e Sara ter um filho! Mas depois de algum tempo o Senhor ordenou a Abraão que sacrificasse seu filho, Isaque (Gênesis 22:2). Agora imagine como deve ter sido para Abraão… Uma prova de fé sem precedentes. Mas a pergunta é: Deus já não sabia em que Abraão lhe seria obediente em todas as coisas? Sim! Mas por que então, exigiu tão grande prova e sacrifício? Na realidade o Senhor sabia da fidelidade de Abraão, mas era Abraão quem ainda não sabia de sua total fidelidade, ainda estava aprendendo. O Senhor é quem sabe melhor ensinar e Abraão acreditava Nele.

O Senhor testou Abraão para que ele aprendesse e ganhasse experiência e acima de tudo para dar a ele uma bênção inimaginável a um homem com apenas um filho. Uma descendência inumerável (Gênesis 22:17-18). Além de muitas outras bênçãos usufruídas até mesmo por nós hoje através do Convênio Abraâmico.

Mais um exemplo. José neto de Isaque era um homem entendido, sábio (Gênesis 41:39) e íntegro (Gênesis 39:7-12). Como resultado por sua integridade acabou preso ao ser acusado falsamente (Gênesis 39:20). Não há relato de quanto tempo ele ficou preso, mas foi muito tempo, anos, talvez décadas. Só se sabe que foi dois anos depois que o copeiro-mor foi liberto que José interpretou o sonho de Faraó.

Aprendemos com José que o Senhor permite que soframos hoje para nos livrar mais tarde (Gênesis 45:5-7).

No Livro de Mórmon o Senhor avisou que nos últimos dias o número de Santos seria pequeno e disperso se comparado com as outras pessoas (1 Néfi 14:12). Mas o poder de Deus e sua glória estavam sobre eles por causa de sua retidão (1 Néfi 14:14). Vamos sofrer, mas se vivermos retamente a recompensa é nossa!

Não importa quais sejam as nossas aflições e dores. Ele pode curar todos nós (Liahona Março 2011 p.18). Eu sei que ele pode curar a todos nós, presto testemunho disto. Nas experiências mais difíceis de minha vida, quando eu achava que nada poderia curar a dor causada pelas aflições. Depois de ter orado tanto quanto Enos, depois de ter pedido ajuda ao Salvador como Alma o filho e nada ter acontecido veio em minha mente: “Eis que não compreendeste; supuseste que eu o concederia a ti, quando nada fizeste a não ser pedir-me” (D&C 9:7). Então comecei a estudar mais ainda sobre a Expiação e pude sentir e conhecer mais do que nunca a dor do Salvador, e seu amor. Comecei a ajudar e servir ainda mais meu próximo.

Aprendi que quando passamos por uma aflição não devemos ficar nos perguntando Por que, e nem apenas pedir para o Senhor que paremos de sofrer, mas sim aprender o que é necessário com essa experiência; e então seremos fortalecidos, aprenderemos o porquê e então seremos confortados e não sofreremos mais. Nunca aprendi tanto das escrituras e do Espírito como nos momentos de aflição!

Precisamos das aflições… E é por isso que precisamos de fé, esperança e caridade (D&C 4:5). Com esses atributos faremos sempre a nossa parte, acreditando e trabalhando duro (fé). Faremos isso de uma forma otimista, enfrentaremos as barreiras, confiando que tudo será para nosso bem (esperança). E faremos isso pelo motivo certo, o amor ao Salvador (caridade), e com caridade todo o medo será lançado fora (Morôni 8:16), não nos irritaremos facilmente, e suportaremos tudo (Morôni 7:45).

Numa revelação moderna, enquanto o Senhor estabelecia os alicerces do que no futuro seria o programa de bem estar, nos prometeu [grandiosas bênçãos], para isso temos que tem [bom ânimo] e o Senhor [nos guiará]. E quem passar por tudo isso com [gratidão] terá suas bênçãos [centuplicadas] (D&C 78:17-22).

Não devemos considerar essas coisas pequenas, pois elas garantirão o futuro, temos apenas que manter o nosso navio na direção dos ventos e das ondas. Assim seremos beneficiados com as dificuldades. Recebamos essas coisas com alegria e depois aguardemos com extrema segurança a salvação de Deus (D&C 123:15-17).

Durante um dos maiores períodos de perseguição aos Santos, o Senhor disse que tudo seria revertido para o nosso bem (D&C 98:1-3).

Enquanto estamos fazendo a obra do Senhor temos as maiores promessas (D&C 100), principalmente o consolo, pois o Senhor está cuidando de nossas famílias. Enquanto estamos na missão, nossas famílias estarão melhores do que se estivéssemos presente pessoalmente (D&C 100:15, 1) e o Senhor sempre fará com que encontremos os que nos receberão (D&C 100:3; 112:19).

O propósito dessa vida é para que sejamos felizes (2 Néfi 2:25). A chave da felicidade está em trazer almas a Cristo, quão grande será nossa alegria se levarmos pelo menos uma alma ao Reino dos Céus. Então quão grande será nossa alegria se levarmos muitas almas ao Reino do Senhor (D&C 18:16).

Tenhamos paz nas adversidades, foi o convite do Salvador, pois nossas aflições não durarão mais que um momento. O que serão alguns anos de aflição comparados com a alegria eterna? Se suportarmos tudo com paciência em mente firme seremos exaltados e nosso inimigos derrubados (Jacó 3:1-2; D&C 121:7-11).

Se sofrermos todos os tipos de tribulações (João 16:33) poderemos nos sentir felizes e honrados como Pedro e João ao serem açoitados por falar no nome do Senhor Jesus (Atos 5:40-41). Que privilégio.

Mesmo nos piores momentos podemos nos sentir como o Apóstolo Paulo, Alma ou Néfi. Podemos ficar tristes mas não desanimados, nem rebaixar nossas expectativas. (2 Coríntios 4:8-9).

O Senhor sofreu tudo (D&C 122:5-8). E tudo e todos estarão contra nós (D&C 122:1). Mas se perseverarmos até o fim não há poder que nos faça mal algum (D&C 122:9).Para sermos verdadeiros discípulos do Senhor Jesus Cristo é necessário passarmos por algumas adversidades, aflições e perseguições. E se permanecermos retos a nossa voz será mais terrível que a do Leão feroz (D&C 122:4, 1 Néfi 14:14).

Vamos nos gloriar nas tribulações, pois elas nos ajudam a adquirir os atributos de Cristo principalmente sentir o amor de Deus por nós (Romanos 5:3-5) Deus nos ama! Quem nos separará do amor de Cristo? Nada nem ninguém (Romanos 8:35-39)!

Testifico que Deus nos ama e está nos preparando, lavando nossas vestes no sangue do Cordeiro e no último dia limpará todas as lágrimas de nossos olhos (Apocalipse 7:9-17). Que promessa maravilhosa! E que dia maravilhoso sera esse!

E então seremos Deuses, teremos todo o poder e tudo nos será sujeito, conheceremos a Deus e teremos a Vida Eterna: Dignos de vidas eternas, não há promessa maior do que essa (D&C 132:19-24)!

Amo o Salvador e conheço um pouco do amor Dele, sei que ele nos fará o melhor! Por isso o servirei até o fim!

Em nome de Jesus Cristo. Amém!

 

¹Presidente Gelson Pizzirani: ²Missão Brasil Brasília no período 2008-2011

SUDBR © 2017. A visão exposta no artigo representa a opinião do autor e não necessariamente a posição da Igreja. Este website não é afiliado ou propriedade de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Para a posição oficial da igreja acesse LDS.org site oficial; Veja também os links no artigo.


Você pode gostar...

SUDBR © 2017. Todos os Direitos Reservados. É proibída a reprodução total o parcial do conteúdo sem autorização expressa do Editor. O material disponível para download é para uso pessoal sem fins lucrativos, você não está autorizado a distribuir este(s) arquivo(s) de qualquer forma seja eletronicamente ou por qualquer outro meio.


Seja o Primeiro a Comentar

Deixe aqui sua opinião, dúvida ou elogio sobre "Por que temos aflições?".


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia nossa Política de Comentários