Uma Visão e uma Esperança para a Juventude de Sião (Ezra Taft Benson)

Ezra Taft BensonEzra Taft Benson
12 de abril de 1977
Devocional da BYU

Ezra Taft Benson era membro do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, quando este discurso foi proferido em um devocional para Universidade Brigham Young em 12 de Abril de 1977.

 Acima video do devocional, somente em inglês.

Meus amados irmãos e irmãs, com humildade e gratidão, diante de vocês nesta manhã busco a atenção de sua fé e orações para que esta mensagem que tenho seja acompanhada pelo Espírito. É uma visão maravilhosa que tenho aqui esta manhã. É bom estar com vocês, meus queridos jovens amigos, ilustres membros do corpo docente e convidados especiais.

Minha esposa e eu acabamos de voltar de um fim de semana glorioso em St. George, onde tive o privilégio de me dirigir a três auditórios lotados, duas no maior auditório do Dixie College composto em grande parte de jovens, e um no quarto andar do templo em uma Assembléia Solene. Estávamos em honra ao centenário da dedicação do Templo de St. George, o primeiro a ser erguido na parte ocidental do país. Nós ainda estamos gozando do resultado de mais uma grande Conferência Geral da Igreja. Nunca em minha lembrança tivemos advertências mais explícitas de profetas de Deus; e em nenhum lugar do mundo existem homens mais bem preparados ou mais obrigados a fazer tais advertências.

O Reino Celestial

Hoje quero discutir alguns princípios e leis do reino celestial, e algumas das falácias de suas falsificações perversas no mundo. Eu compartilho com vocês uma visão de suas possibilidades eternas. O reino celestial, morada de Deus, nosso Pai Eterno, é composto de homens e mulheres que tenham cumprido com a lei divina e que não foram enganados pela astúcia dos homens ou as doutrinas do diabo. Eles são homens justos aperfeiçoados pela mediação e expiação de Jesus Cristo (ver D&C 76:69). Eles são obedientes à lei celestial; pois, como disse o Senhor, “aquele que não consegue viver a lei de um reino celestial não consegue suportar uma glória celestial.” (D&C 88:22)

As Leis Celestiais, incluem certas ordenanças pertencentes à Igreja de Jesus Cristo, que são cumpridas por convênios voluntários. As leis são espirituais. Assim, nosso Pai Celestial ordenou certos santuários sagrados, chamados de Templos, nos quais essas leis podem ser completamente explicadas, as leis incluem a lei da obediência e sacrifício, a lei do evangelho, a lei da castidade e a da lei da consagração.

Quero falar mais particularmente nesta manhã sobre esta única lei – a lei da consagração. Isto é que o nosso tempo, talento, força, propriedade, e dinheiro é dado para o Senhor com o propósito expresso de edificar o reino de Deus e estabelecer Sião na Terra. Ou, como lemos em Doutrina e Convênios 105:5, “Sião não pode ser edificada a não ser pelos princípios da lei do reino celestial”. (D&C 105:5)

Muito tem sido escrito sobre esta lei e as suas tentativas de implementações no início da história da Igreja; e tomou raiz para muita decepção, mesmo entre alguns de nossos membros, por causa de opiniões desinformadas ou interpretações equivocadas. Alguns o consideram como uma mera alternativa econômica para o capitalismo ou o sistema de livre iniciativa, outros como uma consequência da primeiras experiências comunitárias nos Estados Unidos. Tais pontos de vista não são apenas míopes mas tende a diminuir em importância um requisito obrigatório para a entrada no reino celestial. A lei da consagração é uma lei celestial, não um experimento econômico.

O veículo para a implementação da lei da consagração é a ordem unida. O princípio básico subjacente à ordem unida é que tudo o que temos pertence ao Senhor; e, portanto, o Senhor poderá solicitar qualquer e todas nossas propriedades, pois a Ele pertencem. A ordem unida foi introduzida por “um convênio e uma promessa que não poderão ser violados.” (D&C 42:30), de acordo com as escrituras. Em outras palavras, um indivíduo transfere seus títulos [escrituras] de todos as suas propriedades [e bens] à Igreja através do bispo. Os bens passam a ser propriedade da Igreja. Você leu sobre isso no quadragésima segunda seção de Doutrina e Convênios.

O bispo, em seguida, devolve ao consagrador por instrumento legal a quantidade de bens [propriedades] pessoais requeridos pelo indivíduo para seu próprio sustento e de sua família, como o Senhor declara: “de acordo com suas condições e suas carências e necessidades” (D&C 51:3). Estes se tornam privado, propriedade privada do indivíduo para ser usado como melhor lhe servir. É a sua mordomia. Quando um indivíduo produz um lucro ou excedente mais do que o necessário para o seu próprio sustento e de sua família, o excedente é então colocado no armazém de bispos para ser administrado aos pobres e necessitados. Sob a ordem unida, a ociosidade não tem lugar, a ganância, o egoísmo e a cobiça são condenados. A ordem unida pode, portanto, apenas operar com um povo justo.

Tem sido erroneamente concluído por alguns que a ordem unida é tanto comunitária [communal] como comunista na teoria e na prática, porque as revelações falam de igualdade. A igualdade perante a ordem unida não é o nivelamento econômico e social, defendida por alguns hoje. Igualdade, como descrito pelo Senhor, é “igualmente a cada homem, de acordo com sua família e de acordo com suas condições e suas carências e necessidades.” (D&C 51:3)

A ordem unida é um sistema [regime] comunitário? Enfaticamente que não. Nunca foi e nunca será. Ela é “intensamente individualista.” Será que a ordem unida elimina a posse da propriedade privada? Não. “O princípio fundamental deste sistema [ordem unida] É a propriedade privada” (J. Reuben Clark, Jr., Conferência Geral, outubro de 1942, p. 57). link

Dois grupos separados de santos implementaram de forma completa essa lei divina. O primeiro foi a ordem unida de Enoque, o qual o Senhor designou este povo Sião, ” porque eram unos de coração e vontade e viviam em retidão; e não havia pobres entre eles.” Lemos sobre isso no sétimo capítulo, versículo dezoito, de Moisés, em Pérola de Grande Valor (Moisés 7:18). Um segundo exemplo foi a Civilização Nefita após a visita do Salvador ao hemisfério ocidental depois da sua ressurreição. Isso está registrado em 4 Néfi, o terceiro versículo em particular (4 Néfi 1:3). O fracasso dos primeiros santos desta dispensação para viver conforme a plenitude da lei é explicada pelo Senhor em revelações registradas em Doutrina e Convênios, seções 101 e 105 (D&C 101 e 105).

Repito e enfatizo que a lei da consagração é uma lei para uma herança no reino celestial. Deus, o Pai Eterno, Seu Filho Jesus Cristo, e todos os seres sagrados observam esta lei. É uma lei eterna. É uma revelação de Deus à sua Igreja nesta dispensação. Apesar de não estar em pleno funcionamento hoje, será obrigatória para todos os santos viver a lei em sua plenitude para receber a herança celestial. Vocês jovens de hoje cumprem uma parte dessa lei maior com seu dízimo, pagando uma generosa oferta de jejum, indo para missão, e fazendo outras contribuições em dinheiro, serviço e tempo.

O sistema falsificado de Satanás

Mas sempre que o Deus do céu estabelece por revelação seus desígnios, Satanás sempre vem entre os homens para perverter a doutrina, dizendo, “Não acrediteis.” Ele freqüentemente estabelece um sistema falsificado, concebido para enganar os filhos dos homens. Seu objetivo, como foi antes da fundação do mundo, é frustrar o arbítrio do homem e subjugá-lo. Ao longo de todas as eras da humanidade, o adversário tem usado agentes humanos e governos despóticos para estabelecer seu propósito. Satanás está determinado a destruir tudo o que é estimado, tudo o que vai enobrecer e exaltar o homem a um reino celestial.

Isaías previu o tempo em que uma obra maravilhosa e um assombro aconteceria entre os homens (ver Isaías 29:14). Isaías também previu que haveria aqueles que “querem esconder profundamente o seu propósito do Senhor, e fazem as suas obras às escuras, e dizem: Quem nos vê?” (Isaías 29:15). Ele viu o momento em que o trabalho, o homem, dirá daquele que o fez: “Não me fez;” negando sua criação (veja Isaías 29:16). É bom perguntar o por que dos ateus autoproclamados entrarem em cena da civilização após a restauração do evangelho, que estabeleceram obras secretas das trevas para derrubar as nações por uma revolução violenta e que blasfema proclamou a doutrina ateísta que Deus não nos fez. Sim, Satanás trabalha por meio de agentes humanos. Precisamos apenas examinar algumas das figuras vis da história contemporâneas à restauração do evangelho para descobrir o cumprimento das profecias de Isaías. Refiro-me aos fundadores infames do comunismo, Karl Marx e Friedrich Engels. Hoje, se estivermos atentos, podemos ainda ver o cumprimento das profecias de Isaías.

Comunismo: um sistema antagônico ao Evangelho de Cristo

Através da persuasão de Marx e Engels, a falsificação da ordem unida mais bem sucedida foi introduzida no mundo. A declaração dos princípios encontrados em seu Manifesto ao Mundo defende a derrubada do capitalismo e da livre iniciativa, a abolição da propriedade privada, a eliminação da família como uma unidade social, a abolição de todas as classes, a derrubada de todos os governos e o estabelecimento da propriedade coletiva em uma sociedade sem classes e sem Estado [apátrida / desnacionalizado].
Tudo isso a ser realizado pela revolução.

Em 03 de julho de 1936, a Primeira Presidência publicou esta advertência aos membros da Igreja. Cito-a em parte; Eu espero que vocês consigam uma cópia da declaração completa para seus arquivos. Em parte, diz a declaração:

(…) Comunismo não é um partido político, nem um plano político nos termos da Constituição; ele é um sistema de governo que é o oposto ao nosso governo Constitucional, (…)

Uma vez que Comunismo seja estabelecido, iria destruir o nosso governo Constitucional Americano, apoiar o Comunismo é uma traição às nossas instituições livres, e nenhum cidadão Americano patriótico pode tornar-se um comunista ou simpatizante do comunismo.

Aos nossos membros da Igreja, dizemos: O Comunismo não é a Ordem Unida, e tem apenas a semelhança superficial da mesma; O Comunismo é baseado na intolerância e na força, a Ordem Unida no amor e liberdade de consciência e ação; (…)

Os Comunistas não podem estabelecer a Ordem Unida, tão pouco o Comunismo irá realizá-la. (…)

o Comunismo é hostil á leal cidadania Americana e incompatível com o verdadeiro membro da Igreja; necessariamente nenhum cidadão americano leal e nenhum membro fiel da Igreja pode ser um Comunista.

Apelamos a todos os membros da Igreja a rejeitar completamente o Comunismo. A segurança do nosso governo Constitucional divinamente inspirado e o bem-estar da nossa Igreja imperativamente exige que o Comunismo não tenha lugar nenhum na América.

Assinado, A Primeira Presidência
Presidente Heber J Grant
J. Reuben Clark, Jr.
David O. McKay 

[Cópia da declaração completa: Advertência aos Membros da Igreja, Primeira Presidência 1936.]

Vocês alunos precisam ler alguns dos discursos e escritos do russo exilado Aleksandr Solzhenitsyn para apreciar esta prudente advertência da Primeira Presidência.

Estive em ambos os lados da Cortina de Ferro várias vezes. Tenho conversado com os líderes ateus cara a cara Digo-lhes com toda sinceridade de minha alma que desde 1933 esta falsificação ímpia do evangelho tem feito tremendo progresso em direção ao seu objetivo de dominar o mundo, pois mais de um terço da família humana estão agora sob subjugação totalitária.

Hoje estamos em uma batalha pelos corpos e almas dos homens. É uma batalha entre dois sistemas opostos: a liberdade e a escravidão, Cristo e o anticristo. A luta de hoje é mais grave do que a de uma década atrás, ainda hoje a sabedoria convencional, assim chamada, é que temos de aprender a viver com o comunismo, abandonar nossas idéias sobre soberania nacional. Você ouve isso repetidas vezes hoje em dia. Diga aos milhões – sim, as dezenas de milhões – de pessoas que encontraram a morte ou a prisão sob a tirania do comunismo. Aprenda a viver com o comunismo? Essa seria a sentença de morte da liberdade e de tudo que nós prezamos.

O evangelho de Jesus Cristo pode prosperar apenas em uma atmosfera de liberdade. Como membros da sua Igreja, temos uma grande responsabilidade de fazer tudo a nosso alcance para assegurar que a liberdade seja preservada e protegida. Oro para que Deus os abençoe para que vejam o comunismo como ele realmente é: o maior sistema de escravidão humana que o mundo já conheceu. Que vocês não sejam enganados em acreditar que os comunistas moderaram seus objetivos para a dominação do mundo. Digo-vos que a então chamado relaxamento [détente] é uma fraude. O tempo provará, isto é certo.

Não há desculpa para qualquer instrutor da BYU conceder um fórum comunista declarado com o propósito de ensinar o comunismo neste campus. Isto pode ser feito em outros campus nos Estados Unidos, mas não será feito aqui.

Socialismo: uma filosofia incompatível com a liberdade humana

Outro notável sistema falsificado ao plano do Senhor é o socialismo coletivizado. O socialismo deriva sua filosofia dos fundadores do comunismo, Marx e Engels. Comunismo, na prática, é socialismo. Sua finalidade é o socialismo mundial, a qual os comunistas procuram alcançar pela revolução, e que os socialistas procuram alcançar pela evolução. Tanto o socialismo como o comunismo tem o mesmo efeito sobre o indivíduo – a perda da liberdade pessoal. Como foi dito tão bem pelo Presidente J Reubem Clark Jr, “Os dois são como ervilhas da mesma vagem em seu efeito final sobre nossas liberdades.”

Por que o socialismo é incompatível com a liberdade humana? O socialismo não pode funcionar exceto através de um Estado todo-poderoso. O Estado precisa ser supremo em tudo. Quando as pessoas começam a exercer seus direitos concedidos por Deus, o Estado precisa suprimir essa liberdade. Então, a crença em Deus deve ser suprimida, e com ela a liberdade de consciência e religião também deve ser. Essas são a primeira das nossas liberdades mencionados na Declaração de Direitos [1].

Alguns entre nós confundiria a ordem unida com o socialismo. Isso é um grave equívoco. É importante para mim que o Profeta Joseph Smith, depois de participar de palestrar sobre o socialismo em seus dias, tenha feito este registro oficial na história da Igreja: “Eu disse que não acreditava na doutrina.” (Joseph Smith, History of the Church 6:33)

O socialismo disfarçado em Medidas de Bem-Estar do Estado

Como cidadãos desta nobre terra, temos marchado um longo caminho destruindo a alma na ladeira do socialismo. Se você questiona essa afirmação, considere o recente depoimento do economista ganhador do Prêmio Nobe, Milton Friedman. Ele indicou que os gastos públicos nos Estados Unidos em todos os níveis elevam-se acima de 40% de toda a renda nacional de hoje. Se continuarmos a seguir a tendência na qual estamos caminhando hoje, duas coisas inevitavelmente resultarão: primeiro, a perda de nossa liberdade pessoal e, segundo, a falência financeira. Esse é o preço que pagamos quando nos afastamos de Deus e dos princípios que ele ensinou e nos voltamos ao governo que faz tudo por nós. É a fórmula pela qual nações tornam-se em escravos.

Esta nação foi estabelecida pelo Deus do céu como uma cidadela da liberdade. A Constituição garante essas liberdades que foi planejada sob supervisão da influência do céu. Conto novamente o que ocorreu no Templo de St. George, quando os Pais Fundadores desta nação visitaram o Presidente Wilford Woodruff, que na época era membro dos Doze e não presidente da Igreja. A república, que foi estabelecida, foi o sistema mais próximo da perfeição que poderia ter sido idealizado para conduzir os homens na direção de princípios celestes. Podemos comparar o nosso sistema à lei de Moisés, que conduz os homens a lei maior de Cristo.

Hoje, 200 anos mais tarde, devemos observar, infelizmente, que nos afastamos de forma significativa dos princípios estabelecidos pelos Pais Fundadores de nosso país. James Madison se opôs à proposta de colocar o congresso no papel de promover o bem-estar geral de acordo com os seus caprichos nestas palavras:

Se o Congresso pode empregar dinheiro indefinidamente para o bem-estar do povo, eles podem tomar a responsabilidade da religião em suas próprias mãos; eles podem nomear professores em cada estado, comarca e paróquia e pagá-los através do tesouro público; eles podem ter em suas mãos a educação das crianças, estabelecendo da mesma maneira escolas em toda a nação; eles podem prover mantimento aos pobres (…) Fosse o poder do Congresso estabelecido na dimensão defendida [seria um problema, então], isso subverteria as próprias fundações, e transmutaria a própria natureza do limitado Governo estabelecido pelo povo da América. [Citado em Donald L . Newquist, Profetas, Princípios e National Survival, p.342. Não traduzido para a língua portuguesa]

Essa declaração, dada como advertência, se provou profética. Hoje o Congresso está fazendo o que Madison advertiu. Agora muitos estão defendendo o que tem se tornado uma prática comum desde o início de 1930: a redistribuição de renda através do sistema tributário federal. Isto, por definição, é socialismo!

Os americanos sempre foram comprometidos a cuidar dos pobres, idosos e desempregados. Temos feito isso com base em crenças judaica-cristãs e princípios humanitários. Isto tem sido fundamental para o nosso modo de vida que a caridade deve ser voluntária para ser caridade. Benevolência compulsória não é caridade. Socialistas de hoje – que chamam a si mesmos de igualitaristas – estão usando o governo federal para redistribuir renda em nossa sociedade, não como uma questão de caridade voluntária, mas como uma chamada questão de direito. Um funcionário HEW (Departamento de Saúde, Educação e Bem-estar dos Estados Unidos) [2] disse recentemente: “Neste país, o bem-estar não é caridade, é um direito. Mais e mais americanos sentem que seu governo lhes devem algo.” (US News and World Report, 21 de abril de 1975, p. 49). Presidente Grover Cleveland disse – e nós como povo acreditamos – que embora o povo apoie o governo o governo não deve apoiar o povo.

A principal arma usada pelo governo federal para alcançar esta “igualdade” é sistema de transferências de renda. Isso significa que o governo federal recolhe a renda de um grupo transfere para outro pelo sistema tributário. Estas transferências de renda são feitas na forma de benefícios Previdência Social , Saúde, Medicamento e Alimentação ([food stamps], tradução direta: vale-refeição); para citar alguns. Hoje o custo de tais programas vem crescendo à taxa de 12 bilhões de dólares por ano; e, com o aumento de benefícios e um maior número de beneficiários, mesmo com a elevada base de cálculo teremos déficits maiores no futuro.

Hoje, o partido no poder tem defendido e apoiado, e aparentemente ambos os principais partidos, um abrangente programa nacional de saúde – um eufemismo para socializar a medicina. Nosso maior perigo é que estamos atualmente (e têm sido há 40 anos) transferindo responsabilidades dos indivíduos, dos governos locais e estaduais para o governo federal – precisamente o mesmo curso que levou ao colapso econômico da Grã-Bretanha e Nova York. Não podemos prosseguir por muito tempo com a tendência atual sem que isso nos traga à insolvência nacional.

Edmund Burke, o grande filósofo político britânico, alertou para a ameaça da igualdade econômica. Ele disse:

A igualdade perfeita de fato será produzida – isto é, igualdade na miséria, igualdade na pobreza extrema, e por parte dos requerentes, uma lamentável, indefesa, e desesperada decepção. Tal é o caso de todas as equalizações obrigatórias. Eles puxam para baixo o que está acima; elas nunca elevam o que está abaixo; e debilitam alto e baixo juntos abaixo do nível que era originalmente o menor.

Somos parte do problema ou parte da solução?

Recentemente uma carta chegou ao meu escritório, acompanhado por uma artigo do seu Daily Universe (o jornal oficial dos estudantes da BYU), sobre a questão dos estudantes da BYU receberem vale-refeição ([food stamp], Bolsa Alimentação)[3]. O questionamento feito na carta foi: “Qual é a postura da Igreja sobre receber vale-refeição?” A visão da Igreja sobre isto é bem conhecida. Nós defendemos a independência, a economia e a abolição da esmola. Isto foi enfatizado na manhã de sábado na Reunião de Bem-Estar da Conferência Geral. “O objetivo da Igreja é ajudar as pessoas a ajudarem a si mesmas. O trabalho deve ser reentronizado como princípio governante da vida dos membros de nossa Igreja” (Heber J. Grant, Relatório da Conferência, em outubro de 1936, p. 3).

Quando você aceita o vale refeição (bolsa família, bolsa alimentação), aceita uma doação desmerecida paga pelo trabalho de outras pessoas. Você não merece vale refeição ou auxilio da previdência social. Todo indivíduo que aceita um auxílio do governo é tão moralmente culpado como o indivíduo que recebem dinheiro dos contribuintes para pagar pelo aquecimento, eletricidade ou aluguel. A princípio não há nenhuma diferença entre eles. Você não veio a está universidade para tornar-se um beneficiário de programa social do governo. Veio aqui para ser uma luz para o mundo, uma luz para a sociedade – para salvar a sociedade e ajudar a salvar esta nação, a base de operações do Senhor nestes últimos dias, para melhorar as condições sociais do homem. Você não está aqui para ser um parasita ou sanguessuga. O preço que você paga por “algo que nada vale” pode ser mais do que te é permitido pagar. Não racionalize a sua aceitação do auxílio do governo, dizendo: “Também sou contribuinte, pago impostos.” Ao pensar assim, contribui para o problema que está levando a nação à insolvência financeira (falência).[4]

A sociedade pode racionalizar a imoralidade, mas Deus não pode tolerá-la. Sociedade patrocina violação do sabath (Dia do Senhor), mas a Igreja aconselha o contrário. Sociedade profana o nome da Deidade, mas Santos dos Últimos Dias não podem apoiar isso. Porque a sociedade tolera, o que desmoraliza o homem e enfraquece a iniciativa e o caráter de Deus, podemos nós?

Eu sei o que é isto, assim como muitos de seus professores, encontrar trabalho durante a faculdade, tendo aulas apenas durante o trimestre do inverno. Se vocês não têm os recursos financeiros para completar sua educação, abandonem um semestre e vá trabalhar e poupar. Você será um homem ou uma mulher melhor fazendo assim. Terá preservado o seu auto-respeito e iniciativa. Sabedoria vem com a experiência e grande esforço, não apenas através de uma matrícula universitária. Espero que não sejam enganados pelas filosofias atuais que irão roubar sua dignidade divina, auto-estima e iniciativa, esses atributos que tornam possível uma herança celestial. É por esse interesse, e somente este, que tenho falado tão fracamente para vocês.

Minha Esperança para Vocês, A Juventude de Sião

No início das minhas observações a vocês, amados jovens da Igreja, tentei compartilhar com vocês uma visão de suas possibilidades eternas. Ao encerrar minhas observações, quero compartilhar com vocês minha esperança:

Espero que aprendam através de suas lutas a alegria da conquista.

Espero que reconheçam no evangelho de Jesus Cristo a solução para nossos problemas, temporal e espiritual.

Espero que se casem bem, vivam juntos em amor, criem uma família em retidão e tenham alegria e regozijo em sua posteridade.

Espero que sigam o exemplo e conselho daquele quem o Senhor designou como profeta, vidente e revelador.

Espero que aprendam a alegria do trabalho, a capacidade de adiar desejos e a independência econômica para não serem escravos de nenhum homem.

Espero que mantenham-se limpos moral e espiritualmente, que “tua confiança se [fortaleça] na presença de Deus”, como dizem as escrituras, e “O Espírito Santo será teu companheiro constante” (ver D&C 121:45-46).

Espero que sejam unidos em filosofia, propósito e ação às leis do reino celestial.

Oro a Deus por bênçãos supremas sobre vocês, meus amados irmãos e irmãs. Deixe-me dizer que não há nada neste mundo que seja justo que a liderança desta Igreja não faria para sua juventude; e assim espero e oro para que vocês percebam a esperança daqueles que vos amam e servem e as possibilidades de seu potencial como filhos e filhas de Deus.

Em nome de Jesus Cristo. Amém!

FONTES:
Original do Inglês: 
A Vision and a Hope for the Youth of Zion, Ezra Taft Benson, BYU Devotional, 12 abril 1977;
Traduções:
O ESTANDARTE | Uma visão e uma esperança para os jovens de Sião
SUDBR | Advertência aos Membros da Igreja, Primeira Presidência 1936.

Revisão SUDBR(C)2016 por Leandro Ginatto
Tradução: João Henrique Pereira  |  Revisão técnica: Déborah Lohane M. Pereira

Notas do Tradutor:

[1] Uma menção ao Bill of Rights (As Declarações de Direitos) que consistem nas 12 primeiras emendas à Constituição dos Estados Unidos. A Primeira Emenda garante o livre exercício da liberdade religiosa e a liberdade de consciência, eis seu texto: “O Congresso não fará lei relativa ao estabelecimento de religião, ou proibindo seu livre exercício, ou restringindo a liberdade de palavra ou de imprensa, ou o direito do povo reunir-se pacificamente e dirigir petições ao Governo para exigir a reparação de seus agravos”;

[2] HEW é a sigla do antigo United States Department of Health, Education and Welfare (Departamento de Saúde, Educação e Bem-estar dos Estados Unidos). Department seria o equivalente aos Ministérios no governo federal brasileiro;

[3] Élder Benson se refere ao Food Stamp um antigo programa de distribuição de alimentos do governo dos Estados Unidos. Atualmente o mesmo programa é administrado no governo Obama sob o nome de Supplemental Nutrition Assistance Program (SNAP), veja as notas da Revisão SUDBR(C)2016: [Food Stamp];

[4] Essa declaração provou-se profética. Segundo dados da Bureau of Economic Analysis, em 2013 a dívida pública dos EUA era de 17,3 trilhões de dólares, enquanto seu PIB somava 16,9 trilhões de dólares, levando a uma situação real de insolvência (falência), o que levou o Departamento do Tesouro a pedir que o Congresso elevasse o teto da dívida.

Notas da Revisão SUDBR(C)2016:

[Communal] este termo é usado no decorrer do texto, o qual na maioria das vezes foi traduzido como comunitário. Porém este termo da forma que esta associada ao texto remete ao entendimento de grupos de pessoas, na maioria das vezes com propósitos religiosos, que uniam seus bens para formar uma comunidade economicamente coletiva, são lembrados como os primeiros experimentos comunitários. Alguns os chamam de comunistas por seus bens serem coletivos, uma vez que os mesmos seriam divididos entre a comunidade. Motivo pelo qual muito erroneamente acreditam que a ordem unida é um tipo de comunismo primitivo. (veja ushistory.org, Comunitário ou coletivo: um caso tribal, tdl.org);

[détente] é uma palavra francesa que significa distensão ou relaxamento. De uma maneira geral, o termo pode ser empregado para se referir a qualquer situação internacional na qual nações que tinham anteriormente um relacionamento hostil (sem, no entanto, estarem em um estado de guerra declarada) passam a restabelecer relações diplomáticas e culturais, apaziguando seu relacionamento e diminuindo o risco de conflito declarado. O termo é mais freqüentemente utilizado em referência à redução geral de tensão entre a União Soviética e os Estados Unidos da América durante a Guerra Fria. (Veja wikopedia);

[Food Stamp] por ser um auxilio assistencialista do governo, a tradução foi alterada de vale refeição, sua tradução direta, para auxilio alimentação, bolsa alimentação ou bolsa família; assim melhorando o entendimento do texto para o leitor brasileiro. Nos E.U.A a Assistência Alimentícia é dada através de vale-refeições emitidos pelo governo federal, no Brasil essa assistência é por meio de dinheiro, na qual tem uma implicação ainda mais negativa por não controlar como o auxilio será usado;

[Daily Universe] site oficial do jornal dos estudantes da BYU universe.byu.edu.

 

SUDBR © 2017. A visão exposta no artigo representa a opinião do autor e não necessariamente a posição da Igreja. Este website não é afiliado ou propriedade de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Para a posição oficial da igreja acesse LDS.org site oficial; Veja também os links no artigo.


Você pode gostar...

1 Resultado

A visão exposta nos comentários não representa necessariamente a posição da Igreja. Os comentários também não representam a opinião do SUDBR. A responsabilidade é inteiramente do autor do comentário.


  1. Sergio Samir disse:

    Nossa que maravilha de artigo, obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


SUDBR © 2017. Todos os Direitos Reservados. É proibída a reprodução total o parcial do conteúdo sem autorização expressa do Editor. O material disponível para download é para uso pessoal sem fins lucrativos, você não está autorizado a distribuir este(s) arquivo(s) de qualquer forma eletronicamente ou por qualquer outro meio.