Um pouco de política

Somos um povo político? Sim, profundamente. Mas, a que partido pertenceis, ou para quem votareis? Eu vos digo em quem votaremos: no homem que mantiver os princípios da liberdade civil e religiosa; no que tiver maior conhecimento, capacidade e cérebro para ser um estadista, pouco nos importando a que partido político pertença. Essa é a nossa filosofia política (Brigham Young¹)

As palavras de Brigham Young são tão poderosas no quesito política que esse artigo estará repleto de citações do profeta.

POSICIONAMENTO POLÍTICO DA IGREJA

A igreja sempre se posicionou apartidária, não promovendo ou apoiando partidos políticos. Porém sempre incentivou aos santos a participarem ativamente no processo político do país.

Na qualidade de cidadãos, os membros da Igreja são incentivados a participar dos assuntos políticos e governamentais, inclusive do envolvimento no partido político de sua escolha. Também são incentivados a envolverem-se ativamente em causas justas para melhorar sua comunidade no intuito de fazer dela um bom lugar para morar e criar a família. (21.1.29 Atividade Política e Cívica, Manual 2)

Como em muitos assuntos, a política é um divisor de águas, entre os santos isso não é diferente. Porém os santos devem levar em conta seus princípios. Considerar seus princípios religiosos para tomar uma decisão política não é uma tarefa simples, pois a falta de conhecimento os coloca em algumas armadilhas.

Brigham Young, segundo presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e o primeiro governador do estado de Utah, Estados Unidos da América, disse:

Se o reino de Deus, ou um governo teocrático, fosse estabelecido na terra, muitas práticas que agora prevalecem seriam abolidas. (Brigham Young¹)

É evidente que o governo que se instaura na atualidade não representa em sua totalidade princípios cristãos. Os profetas já manifestaram sobre esse abismo que se formou entre os santos e a humanidade.

CREDIBILIDADE NO GOVERNANTE

Mesmo os que apóiam os líderes da igreja tem dificuldades em compreender a liderança eclesiástica, pois ser liderado por meio da fé requer humildade por parte dos fiéis. Infelizmente esse meio de liderança tem sido desacreditado na humanidade por conta de falsos sacerdotes que muito oprimem.

Entretanto governos político também não possuem credibilidade forte. Muitos acabam sendo vítimas de governos corruptos. O próprio Salvador, Jesus Cristo, foi julgado por um governo corrupto. Jesus Cristo foi julgado e condenado ilegalmente.² A atualidade está repleta de casos de corrupção por parte dos governantes, basta fazer uma simples pesquisa para ter milhares de exemplos.

Os governos já vividos na terra são passiveis de corrupção. Então qual seria a melhor forma de governar? Sabemos que o Reino de Deus, quando o próprio Salvador governará a terra, será um governo perfeito e livre de maldade. Mas já tivemos na terra governos justos, como por exemplo, quando o rei Benjamim governou. Quando um rei é guiado pela mão do Senhor, este torna-se o governo justo.

Não obstante, se fosse possível ter sempre homens justos como reis, seria bom que tivésseis um rei. (Mosías 23:08)

Todavia há diversos exemplos de reis que levaram seu povo ao cativeiro. Na história secular temos dezenas de reinos devastados por um capricho frívolo. Nas escrituras isso não é diferente, a luxúria é motivo de queda de muitos governantes. Portanto o Senhor aconselha que não tenhamos reis para nossos governantes. (ver Mosías 23:7-14)

GOVERNO TEOCRÁTICO

O que entendo por governo teocrático? Um governo em que todas as leis são promulgadas e executadas em retidão e cujos oficiais possuem aquele poder que provém do Todo-Poderoso. é a essa espécie de governo que me referi quando falei de um governo teocrático, ou reino de Deus sobre a terra. Ele é, em resumo, os poderes eternos dos Deuses.

A Constituição e leis dos Estados Unidos têm maior semelhança com as teocráticas que as de qualquer outro governo da terra, ou que já existiu nela, de acordo com nosso conhecimento, exceto o governo dos filhos de lsrael até a ocasião em que elegeram um rei. (Brigham Young¹)

Parece um tanto utópico um governo teocrático, já que na religião, a qual tal liderança é exercida, há falta de obediência, quanto mais obedecer a um governo o qual não possui confiança do povo. Em um governo teocrático o povo continua tendo sua voz representada.

Apenas poucos, se os há, compreendem o que é um governo teocrático. Ele é, em todo o sentido da palavra, um governo republicano, e pouco difere em sua organização, de nossos governos nacionais, estaduais e territoriais; porém seus súditos devem reconhecer a vontade e orientação do Todo-Poderoso. O reino de Deus abrange e incorpora as leis municipais que regem as pessoas no que concerne a seu governo exterior, entre as quais se encontram os convênios do evangelho, através dos quais elas podem ser salvas, e também os convênios referentes à condição de membro da Igreja e à fidelidade.

Os convênios do evangelho são feitos para aqueles que crêem e obedecem; e as leis municipais são promulgadas tanto para o santo como para o pecador.  (Brigham Young¹)

Nos dias do êxodo, quando o povo de Israel estava vivendo sob uma teocracia, o Senhor deu diversas leis e mandamentos para que se governasse a nação, entre os quais se encontrava este “Os juízes não amaldiçoarás, e o príncipe dentre teu povo não maldirás”. Os juízes eram nomeados por direção divina e provavelmente a isto se deve o fato de que no original hebraico aparece em lugar de juízes a palavra Elohim, que significa literalmente deuses. Moisés, reiterando os mandamentos do Senhor, impôs sobre o povo esta responsabilidade: “Juízes e oficiais porás em todas as tuas portas que o Senhor teu Deus te der entre as tuas tribos, para que julguem o povo com juízo de justiça.”

Quando o povo se cansou da administração direta de Deus e pediu um rei, o Senhor acedeu a seu desejo e conferiu a autoridade sobre o novo rei por meio de uma santa unção. (James E. Talmage)

O governo teocrático tem habilidade de governar justamente tanto os crentes como os descrentes. E ambas as vozes são ouvidas e respeitadas, na mais pura democracia. A pedido do povo israelita o governo divino foi substituído por rei, substituição aprovada através de unção por Deus.

um governo que protegerá todas as pessoas e seus direitos. Se esse governo estivesse reinando atualmente nesta terra de José, veríeis a Igreja Católica Romana, a Católica Grega, a Episcopal, a Presbiteriana, a Metodista, a Batista, os quaeres, os “shakers”, os budistas e maometanos, e toda classe de adoradores mais estritamente protegidos em todos os seus direitos municipais e privilégios de adorarem quem, o que e quando bem entendessem, desde que não infringissem os direitos alheios. Acaso alguma pessoa sincera, dotada de julgamento sadio, desejaria ter maior liberdade que essa? (Brigham Young¹)

PESSOAS JUSTAS PARA GOVERNAR

O governo carece de pessoas justas. Em um sistema onde não se confia em candidatos políticos é um tanto difícil encontrar o político justo. Há alguns indicativos que evidência um governante justo e preparado.

Os Governantes Devem Ser Pessoas Capazes. Nenhum ser está preparado para reinar, governar e orientar até que tenha sido controlado, governado e orientado — tenha prestado obediência à lei e se provado digno, magnificado a lei a que estava sujeito, para ser senhor daquela lei.

O autogoverno pessoal é o alicerce de todo governo verdadeiro e eficaz, tanto nos céus como na terra. Os governantes devem ser mais sábios e melhores que as pessoas governadas, para que a menor delas possa ser abençoada pela maior. Se assim fosse, o povo estaria disposto a depositar seus legítimos interesses nas mãos de seus governantes ou líderes, e com satisfação concordaria em cumprir todos os seus requisitos e instruções referentes a todos os assuntos que contribuíssem para o bem-estar geral. Esse sistema seria aplicável também aos grandes reinos e nações poderosas, nos pequenos grupos de imigrantes que cruzam as planícies ou ao círculo familiar. Um governo republicano colocado nas mãos de um indivíduo iníquo acabaria sendo uma maldição a esse povo, porém nas mãos de um justo seria eterno e seu poder alcançaria os céus.

O que acontece a um reino cujo rei [governante] não é capaz de controlar suas paixões? Não se lamentarão seus súditos [seu povo]? Sim, eles sentirão o peso de sua ira e suas costas doerão sob seu jugo, e também suas cabeças, e receberão o látego de uma pesada mão.  (Brigham Young¹)

PROGRAMA ASSISTENCIALISTA

O mesmo governo que ilegalmente condenou Jesus Cristo já utilizava de Pão e Circo para ter poder sobre o povo. Temos visto essa mesma forma de poder se repetir ano após ano. Programas Assistencialistas não deve se transformar em esmola, pois assim acomoda o homem em sua miséria.

O programa de Bem-Estar da igreja, quando gerenciado conforme revelado pelos profetas, é um programa assistencialista perfeito, pois a preocupação é com o individuo e não com o poder. Na realidade o poder não está em privar o indivíduo como no Pão e Circo.

O Trabalho e a Política. Fazei com que uma comunidade possua o conhecimento através do qual possa obter o de que necessitam pelo trabalho de seu cérebro; então, em vez de pobres, eles serão livres, independentes e felizes, e não mais haverá distinção de classes, e apenas haverá uma classe, um grau, uma grande família.

Desejais possuir maior influência no campo político? Reuni ao vosso redor as pessoas pobres e sinceras de coração e sede caridosos para com elas, não lhes dando de tudo, no sentido em que a caridade é universalmente conhecida, mas suprindo-as de trabalho, para que paguem o que receberam e ao mesmo tempo tenham alimento, vestuário e abrigo. Dessa maneira, o homem abastado se torna o benfeitor de sua raça.

Se desejais ter poder sobre a mente de qualquer pessoa, concedei-lhe a mesma oportunidade que possuís de vos tornar independentes e auto-suficientes, e dispensai-lhe toda sabedoria e conhecimento que é capaz de receber, e permiti que convosco cresça e se fortaleça. (Brigham Young¹)

SANTOS NA POLÍTICA

Deus esteja com todos os que são a favor da liberdade e igualdade de direitos! Eu estou a vosso lado. Quem desejamos que ocupe nossos cargos públicos? Os melhores homens que pudermos encontrar para a posição de governador, presidente e estadista, ou para qualquer outro ofício de confiança e responsabilidade; e quando os tivermos encontrado, oremos por eles e demos-lhes toda nossa fé e influência, para que cumpram a vontade de Deus e preservem a si próprios e ao povo em verdade e retidão.

Se vivermos nossa religião, honrarmos nosso Deus e sacerdócio, seremos capazes de honrar todo governo e lei que existe sobre a terra e nos tornaremos avessos a todos os administradores iníquos, injustos e corruptos, onde quer que se encontrem. Todas as nações, reinos e governos que existem no mundo devem possuir as leis, ordenanças e estatutos mais perfeitos que possam ser instituídos pelo homem mortal.

Se ninguém falar a nosso favor, façamos isso nós mesmos; se ninguém mais puder fazer algo por nós, façamos algo por nós mesmos. Essa atitude é correta; é política, religiosa, nacional, social e moralmente certa; é correto, em todo o sentido da palavra, procurarmos defender nossos próprios interesses. 11:140.

Que o povo chamado santo dos últimos dias aprenda a ter sabedoria, a ponto de colocar em prática os verdadeiros princípios de governo, para que possa ser capaz de governar e controlar sabiamente todas as classes. (Brigham Young¹)

DEFENDER A MAQUINA GOVERNAMENTAL E NÃO UM GOVERNO

Somos Contra os Administradores Corruptos da Lei. Não levanto a minha voz contra o grande e glorioso governo que a Constituição garante a cada cidadão, mas sim contra os administradores corruptos que calcam a Constituição e as justas leis sob seus pés.

Uma posição bastante desafiadora que este povo poderia assumir é dizer que não será controlado pelos administradores corruptos de nosso Governo geral. Seremos controlados por eles, se tais pessoas forem controladas pela Constituição e pelas leis; mas elas não se sujeitarão a isso. Muitos desses indivíduos se importam menos com elas que com as leis de qualquer outra nação. Essa classe de pessoas calca os direitos do povo sob os pés, embora haja muitas que gostariam de honrá-los. Tudo o que temos exigido é que nos sejam concedidos nossos direitos constitucionais. Desejamos que as leis de nosso governo sejam cumpridas, e jamais deixamos de fazê-lo, porém as vemos serem pisadas pelos maus administradores. (Brigham Young¹)

 DEFENDER A NAÇÃO DE SATANÁS

Mas sempre que o Deus do céu estabelece por revelação seu plano, vem sempre Satanás entre os homens afim de perverter a doutrina, dizendo: “Não acrediteis.” Muitas vezes ele estabelece um sistema falsificado, criado para enganar os filhos dos homens. Seu objetivo, como era antes da fundação do mundo, é impedir o arbítrio do homem e de subjugá-lo. Ao longo de todas as eras da humanidade, o adversário tem usado agentes humanos e governos despóticos para estabelecer seu propósito. Satanás está determinado a destruir tudo o que é caro, tudo o que vai enobrecer e exaltar o homem a um reino celestial.

Satanás trabalha por meio de agentes humanos. Só temos que olhar para algumas das figuras, desprezíveis da história humana, que são contemporâneas à restauração do evangelho para descobrir o cumprimento da profecia de Isaías. Refiro-me aos fundadores infames do comunismo, Karl Marx e Friedrich Engels. Hoje, se estamos atentos, podemos ver ainda o cumprimento das profecias de Isaías. (veja Isaías 29)

Através da iniciativa de Marx e Engels, a mais bem sucedida falsificação da ordem unida foi introduzida no mundo. A declaração de princípios encontrados em seu Manifesto ao Mundo defende a derrubada do capitalismo e da livre iniciativa, a abolição da propriedade privada, a eliminação da família como uma unidade social, a abolição de todas as classes, a derrubada de todos os governos, e ao estabelecimento da propriedade coletiva em uma sociedade sem estado e sem classes. Tudo isso era para ser cumprido pela revolução. (Ezra Taft Benson, na época membro do Quórum dos Doze)

Aos nossos membros da Igreja dizemos, o comunismo não é a Ordem Unida, e tem apenas a semelhança superficial da mesma. O comunismo é baseado na intolerância e na força, a Ordem Unida no amor e liberdade de consciência e ação. . . . nenhum membro fiel da Igreja pode ser um comunista.
Apelamos a todos os membros da Igreja a rejeitar completamente o comunismo. A segurança do nosso governo e o bem-estar da nossa Igreja imperativamente exige que o comunismo não tenha nenhum lugar na América (trechos da carta da Primeira Presidência, em 3 de julho de 1936, formada por  Presidente Heber J. Grant, J. Reuben Clark, Jr., David O. McKay )

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Como santos dos últimos dias, temos o dever e responsabilidade de nos preparar para escolher nosso representante político. Já escolhemos Jesus Cristo como nosso advogado e juiz não podemos simplesmente escolher qualquer um para nos governar. Aprendemos que o Espírito Santo revela a verdade de todas as coisas. Por que não questionar a Deus sobre o que escutamos nas mídias? Não decidiríamos melhor ao consultar o Senhor? Nós santos estamos divididos nessa decisão. Precisamos saber quem melhor representará nossos princípios religiosos e ideais. Precisamos estar atentos a essa escolha, pois Satanás compra a tirania que destrói nossa liberdade reinando com horror em nossa terra, nação, sociedade.

De acordo com as leis de seus respectivos governos, os membros são incentivados a cadastrar-se como eleitores, estudar as questões e os candidatos políticos com muito cuidado e votar nas pessoas que acham que agirão com integridade e bom senso. Os santos dos últimos dias, especialmente, têm a obrigação de buscar, apoiar e dar seu voto a líderes que sejam honestos, bons e sábios (ver D&C 98:10).

Os membros são incentivados a apoiar medidas que fortaleçam a estrutura moral da sociedade, especialmente as que visem manter e fortalecer a família como unidade fundamental da sociedade. (21.1.29 Atividade Política e Cívica, Manual 2)

A tirania que  destrói a liberdade do povo, por meio de regimes políticos corruptos ou totalitários como é o caso do comunismo, socialismo, nazismo entre outros, muitas vezes orquestrando derramamento de sangue, foi apoiada e exercida por líderes no passado e até no presente. Esses líderes podem mudar? Acredito que por meio do evangelho de Cristo, sim. Porém este é o único caminho, o sangue purificador do cordeiro. Não podemos aceitar que o julgamento, destes líderes, por homens corruptíveis, defina a lei de mudança de comportamento do ser humano. Confundir o julgamento dos homens com o de Deus, embaça nossa visão. O julgamento dos homens não basta para cumprir a justiça de Deus.

A dignidade é definida pelo padrão divino, o qual conhecemos muito bem. Padrão esse que deve permear nosso entendimento ao meditar sobre o que é melhor para nossa nação e nossa família. A escolha sábia não nos isenta de qualquer responsabilidade com o governo que será eleito. Devemos seguir o conselho do profeta:  se ninguém mais puder fazer algo por nós [nos representar], façamos algo por nós mesmos. Precisamos de nos envolver em assuntos políticos mais do que temos feito até agora. Claro respeitando as diferenças mas não permitindo que nossa religião e direitos sejam flagelados.

* * *

1. Discursos de BRIGHAM YOUNG, compilados por John A. Widtsoe, Capítulo XXXI;
2. 21.1.29 Atividade Política e Cívica, Manual 2;
3. Mosías 23, Livro de Mórmon;
4. Regras de Fé, James E. Talmage, OBEDIÊNCIA À AUTORIDADE SECULAR, cap. 23;
5. Jesus, O Crito, James E. Talmage, O JULGAMENTO E A CONDENAÇÃO, cap. 34;
6. A Vision and a Hope for the Youth of Zion, Ezra Taft Benson, BYU Devotional, 12 abril 1977;
7. Advertência aos Membros da Igreja, Primeira Presidência 1936.

veja também
Ministering to Needs through the Lord’s Storehouse System, EZRA TAFT BENSON, Of the Council of the Twelve

SUDBR © 2017. A visão exposta no artigo representa a opinião do autor e não necessariamente a posição da Igreja. Este website não é afiliado ou propriedade de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Para a posição oficial da igreja acesse LDS.org site oficial; Veja também os links no artigo.


Você pode gostar...

10 Resultados

A visão exposta nos comentários não representa necessariamente a posição da Igreja. Os comentários também não representam a opinião do SUDBR. A responsabilidade é inteiramente do autor do comentário.


  1. Elio de campos andrade disse:

    Creio que em qualquer regime polìtico existe muitas siladas , perigos, que só a orientação do Espirito Santo, anjos e Santos de Deus( o Nosso Pai Celestial) e a Expiação e Ressurreição de Jesus Cristo e a Volta de Jesus Cristo poderão nos trazer a paz e o Reino dos Céus aqui na Terra.
    É minha oração que o Nosso Pai celestial nos abençoe e nos proteja somos seus filhos e o amamos de todo o nosso coração, mente e temos certeza que ele nos ama com mais intensidade, em nome de Jesus Cristo . Amém.

  2. Vitor Muniz disse:

    Péssimo artigo! Horroroso.

  3. Amauricio Cappi Junior disse:

    Eu pesquisei durante algum tempo o melhor sistema de governo. Muitos levam á opressão. O que aprendi com esse excelente artigo foi que o sistema de governo ideal defende a liberdade e por parte do governante deve haver retidão.
    Aprendi que o governo não deve ser assistencialista, que devemos nos qualificar e nos tornar capazes de suprir nossas necessidades.
    Aprendi que devemos defender o governo como instituição (estado de direito e ordem) mas que devemos nos opor aos políticos corruptos e não nos abster de participar da política, pois isso só piora as coisas.
    Aprendi que todos são livres, mas temos a obrigação moral de rejeitar e combater o comunismo.
    Agradeço por reunir toda essa informação aqui.

  4. Walter disse:

    Gostaria de poder me corresponder com irmãos SUD que tenham posicionamento de esquerda.

  1. 13 de janeiro de 2016

    […] SUDBR | Um pouco de política 12 de janeiro de 2016 […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


SUDBR © 2017. Todos os Direitos Reservados. É proibída a reprodução total o parcial do conteúdo sem autorização expressa do Editor. O material disponível para download é para uso pessoal sem fins lucrativos, você não está autorizado a distribuir este(s) arquivo(s) de qualquer forma eletronicamente ou por qualquer outro meio.