A Casa de Glória (Hugh W. Nibley)

A Casa de Glória

do Original A House of Glory (1994) publicado em Neal A. Maxwell Institute

Hugh W. Nibley

 

Há muitos aspectos do templo que poderíamos falar; alguns destes podem ser livremente discutidas em público, outros não [1]. Mas nós demonstramos esquecer que há mais de 150 anos, a igreja publicou, proclamou, e circulou a declaração mais esclarecedora sobre o assunto, e isso ninguém presta atenção. Essa é a oração dedicatória do Templo de Kirtland. Vamos analisar brevemente Seção 109 de Doutrina e Convênios.

(versículos 1-4)

1 Graças sejam dadas a teu nome, ó Senhor Deus de Israel, que cumpres os convênios e mostras misericórdia aos teus servos que andam retamente perante ti de todo o coração —
2 Tu, que mandaste teus servos construírem uma casa ao teu nome neste lugar [Kirtland].
3 E agora vês, ó Senhor, que teus servos agiram de acordo com teu mandamento.
4 E agora te pedimos, Pai Santo, em nome de Jesus Cristo, o Filho de teu seio, em cujo nome apenas se pode administrar a salvação aos filhos dos homens; rogamos-te, ó Senhor, que aceites esta casa, obra de nossas mãos, de teus servos, que nos mandaste construir.

 O templo foi construído por ordem expressa como um meio de administrar a salvação aos filhos dos homens. Os santos têm respondido, e como o Senhor os chamou, eles agora invocam o Senhor. Nós nunca são passivas nesses assuntos e aqui o Profeta inicia a próxima ação. Em nossas relações com o Senhor espera-se mover por vontade própria: “Pedi e vos será dado; buscar e achareis; batei e será aberto a vós”(Mateus 7: 7). Ou como os judeus dizem, deve haver um mexendo abaixo antes que possa haver um mexendo acima; um não pedir uma bênção sobre uma mesa vazia. existe o templo para nós formação: Que tipo de casa podemos construir você, pede Salomão na dedicação do seu templo, já que o céu é o seu trono e a terra é o escabelo de teus pés?

Mas vamos ao que interessa.

(versículo 5)

5 Pois sabes que fizemos esta obra em meio a grandes tribulações; e, em nossa pobreza, demos de nossos bens para a construção de uma casa a teu nome, a fim de que o Filho do Homem tivesse um lugar onde se manifestar a seu povo.

Em primeiro lugar, o templo é um lugar em que Deus manifesta -se, um lugar de encontro, um local de encontro. Você vai para o tabernáculo, o Senhor disse a Moisés, “e lá eu virei a ti” (Êxodo 25:22; 29: 42f). Quando Jesus se manifestou aos todos os apóstolos depois da ressurreição, ele arranjou antes do tempo, como ele instruiu Maria e como o anjo instruiu alguns dos apóstolos, que todos eles devem conhecê-lo em um determinado momento na Galiléia (Mateus 28:7, 10, 16; Marcos 16:7). Então, o templo é o lugar onde as pessoas se reúnem em um determinado tempo prescrito e lugar. A próxima pergunta é, o que as pessoas?

(versículo 6)

6 E como disseste em uma revelação que nos foi dada, chamando-nos de teus amigos, dizendo: Convocai vossa assembleia solene, como vos ordenei;

A resposta é todos os santos “assembléia solene.” Isso os torna uma sociedade especial que é para iniciar o trabalho de trazer todas as coisas juntos, uma espécie de grande teoria unificadora para o qual todas as ciências parecem estar olhando hoje, trazendo tudo juntos em um. O templo nos ensina expressamente que toda a verdade pode ser englobado em um único todo.

(versículo 7)

7 E como todos não têm fé, buscai diligentemente e ensinai-vos uns aos outros palavras de sabedoria; sim, nos melhores livros buscai palavras de sabedoria; procurai conhecimento, sim, pelo estudo e também pela fé;

Eles são para trazer seus cérebros com eles, que é a primeira qualificação, que o seu cérebro e intelecto pode ser clara e ativa. Por que eles estão aqui “para buscar diligentemente, buscar nos melhores livros, buscar aprendizado.” Esta é a nossa iniciativa. Devemos “ensinar um aos outros sim, pelo estudo e também pela fé”. E pelo que fontes? Fora dos melhores livros? Onde está a lista? Por que não syllabus? Porque estamos a fazer a busca. Nós é que deve decidir quais são os melhores livros e fazer o que devemos “provar todas as coisas [e] se apegam ao que é bom” (1 Tessalonicenses 5:21). Temos de fazer o nosso próprio programa como parte de nos organizar e preparar “todas as coisas necessárias”, como expressamente nos diz no versículo seguinte. O templo é um local de estudo e aprendizagem, uma escola de disciplina mental real. O templo marca o local de encontro universal de todas as grandes sociedades. Na verdade, é a fonte de tudo o que faz civilização [2].

(versículo 8)

8 Organizai-vos; preparai todas as coisas necessárias e estabelecei uma casa, sim, uma casa de oração, uma casa de jejum, uma casa de fé, uma casa de aprendizado, uma casa de glória, uma casa de ordem, uma casa de Deus;

Em primeiro lugar, é uma casa de oração. Isso é o mais importante, para fazer suas conexões cósmicas e estabelecer linhas de comunicação com inteligência maior que a nossa. A função principal do templo é fornecer um elo entre os mundos. Sem que nada mais é que um centro social cívico ou um clube dos cidadãos seniors.

Seguinte é uma casa de jejum. O jejum é a maneira mais eficaz de afrouxar o aperto deste mundo telestial na mente e se mover em direção a outro ambiente. Jejuar é abandonar algumas necessidades normais, suas considerações diárias deve ser posta de lado, porque você vai estar fazendo outras coisas que exigem uma mentalidade totalmente diferente. Jejuar é para desengatar a partir das atividades temporais e desperdício do “mundo real.”

É uma casa de fé. Sem que aqueles que atravessam os movimentos são hipócritas, como o Senhor disse aos judeus no templo: “Destruí este templo e em três dias eu o levantarei” (João 2:19), isto iria testar a sua fé para saber se foi realmente a casa de Deus. Você encontra-se no templo na fé, não exatamente certeza se tudo isso é real ou se seu trabalho será aceito, embora eu deva dizer que no templo mais do que em qualquer outro lugar minhas dúvidas se desintegram.

Seguinte é uma casa de aprendizado. É esta uma surpresa? Se sim, deveria estar estudando e ensinando com diligência, pensando profundamente, devemos ter algo para se pensar, bem como algo para mostrar para o nosso esforço mental. Isso é chamado de aprendizagem. Estamos desconfiados da aprendizagem no Sistema Educacional da Igreja, onde ele é visto como “não espiritual”, mas se alguém estava cada vez mais apaixonadamente do que Brigham Young para aprender tudo o que poderia possivelmente sobre tudo o que poderia possivelmente, era Joseph Smith.

É também uma casa de glória. Isto deve vir a seguir em ordem. E o que é glória? Como você gerar essa quantidade intangível? Glória, dizem-nos, é a inteligência. (D&C 93:36). Podemos ser mais específico? Isso diz tudo, mas o que é inteligência? A inteligência é definida como a capacidade de resolução de problemas, ou seja, a inteligência é a inteligência que age. Qual problema isso resolve? É o problema extremamente difícil de dotar homem fraco e tolo com a imortalidade e vida eterna. Deus diz que este é o seu “trabalho e sua glória: Levar a efeito a imortalidade e vida eterna do homem” (Moisés 1:39), isto voltamos a sua presença e com ele partilhar da vida eterna e exaltação. Desde a sua glória é a inteligência, Ele compartilha conosco. Glória é compartilhada, inteligência. O templo é certamente o lugar para isso.

Ordem vem a seguir. O que crimes foram cometidos em seu nome! Temos notado que o templo é um lugar de pensamento disciplinado e ação, mas arregimentação? Quando pergunto o que o templo me ensina, a resposta é clara: para controlar minhas ações. Isso é auto-disciplina e isso é o que eu prometo para exercer com cada convênio. A lei do sacrifício me obriga a fazer coisas que eu mais facilmente não poderia fazer; a lei do evangelho exige autocontrole em situações cotidianas, evitando os mesmos atos descuidados como são condenadas nas instruções do Mar Morto, como rindo muito alto, fofocando, e falta de modéstia no vestimenta. Que a castidade não é senão o auto-controle, não precisa de argumento. E o mais difícil de todos, a lei da consagração, só pode ser enfrentado contra a tentação ferida, e ainda nos confronta com dilemas não resolvidos. O que eu prometo fazer com cada aliança é pedir a minha vida e, especificamente, uma vez que está totalmente definidos no Livro de Moisés para todo o mundo para ver, para fazer tudo o que eu faço em nome do Filho, à “ arrepender e clamar a Deus em nome do Filho para todo o sempre”(Moisés 5: 8). Note-se que a aliança é entre você e o Pai. Estou a pedir a minha vida, e ninguém mais é fazê-lo por mim; o único juiz do meu comportamento é o Pai. Apenas os dois de nós sabe como eu realmente qualificar neste. Nós estabelecemos o nosso acordo no templo, porque é uma casa de Deus. Ele toma conta de tudo. É em nenhum sentido, uma casa comum. Isto deve-se ter em mente o tempo todo, até o esquecimento de tempo e lugar.

(versículo 9)

9 Para que nela entreis em nome do Senhor; para que dela saiais em nome do Senhor; para que todas as vossas saudações sejam em nome do Senhor, com mãos elevadas ao Altíssimo —

 Isso faz com que o templo seja um lugar muito especial do mundo. Quando você entra e deixa o mundo, passar de uma esfera para outra. “Que seus ganhos possam ser em nome do Senhor, que os seus gastos possam ser no nome do Senhor, que todas as suas saudações sejam em nome do Senhor, com as mãos erguidas ao Altíssimo.” Isto não é retórica, é muito claro. As mãos levantadas anunciam sua entrada e saída do lugar sagrado. São um sinal de reconhecimento, bem como de louvor. Cortesia comum, mesmo na sociedade comum exige sinais de reconhecimento educado ao entrar ou sair de uma empresa. Como uma saudação militar quando o general entra e sai, todo mundo se levanta e saudações e ele saúda também, anunciando nossa presença uns dos outros e começam a trabalhar. Assim, todas estas saudações são “ao Altíssimo” para Ele, Ele é o general, Ele é o único no comando. Isso coloca tudo em perspectiva. O próximo versículo deixa isso claro.

(Revisado até aqui)

Ajude-nos revisando o texto e publique sua revisão e comentários no final desta publicação. Obrigado.

 

(Versículo 10)

10 E agora, Pai Santo, pedimos-te que nos assistas, a nós, teu povo, com tua graça, na convocação de nossa assembleia solene, a fim de que seja feita para tua honra e para tua divina aceitação;

 “Rogamos-te para ajudar EUA € |in chamando a nossa assembléia solene, que pode ser feito para tua honra e à tua aceitação divina.” As coisas não devem diminuir na rotina diária, a luz do dia comum. As pessoas no templo está ciente de algo incomum, algo definitivamente mais do que mera rotina formal ou de improviso. Isso requer uma disciplina e concentração que pode tentar a nossa capacidade e por isso pedimos a Deus para nos ajudar a que, neste esforço comum entre os mundos.

(versículo 11)

11 E de uma forma que sejamos considerados dignos, a teus olhos, de assegurar o cumprimento das promessas que fizeste a nós, teu povo, nas revelações que nos foram dadas;

 Isso fica claro na maneira em que as coisas são realizadas. O estado de espírito é muito importante. O Presidente Joseph F. Smith disse que muito o trabalho do templo provavelmente teria que ser feito de novo por causa da maneira descuidada em que foi feito. [3] Anteontem eu consegui o que queria dizer quando eu gostava de participar em apenas uma ordenança iniciatória. Foi realizada de uma maneira tão improvisada e superficial que eu disse a um dos oficiantes que se eu não tivesse conhecido as palavras de cor, eu não poderia ter entendido uma palavra do que ele dizia.

(versículo 12)

12 Para que tua glória descanse sobre teu povo e sobre esta tua casa que agora dedicamos a ti, para que seja santificada e consagrada como santa; e para que tua santa presença esteja continuamente nesta casa;

 O significado básico de santificadas e consecrated- hagios , kadosh , Sanctus ., santa, etc, – é “cercada do mundo.” Essa é a condição permanente do templo: “Um € |that tua santa presença pode ser continuamente nesta casa.”Muitos lugares santos estão abertas para uso secular durante todo o ano, exceto durante os tempos conjunto formal de montagem e celebração. Não é assim com o templo; Há tudo o que acontece é removido do mundo cotidiano.

(versículo 13)

13 E para que todas as pessoas que atravessarem o umbral da casa do Senhor sintam o teu poder e sintam-se compelidos a reconhecer que tu a santificaste e que ela é a tua casa, um lugar de tua santidade.

 Todas as pessoas sentir o poder no limiar da casa do Senhor; -lo “constrange”-los. Não é algo auto-induzido. Ao longo de templos de história têm contou com a ajuda de incenso, dança, mantras, bateria, drogas, hipnose, jejuns desgastante, procissões, círios, configurações arquitectónicas impressionantes, etc., para convencer seus devotos de forças sobrenaturais. No templo sozinho a Palavra de Sabedoria assegura sobriedade pedra fria. John Chrysostom advertiu contra tais estimulantes, incluindo pinturas e imagens como a imposição de uma disciplina artificial na igreja e se esforçando para efeito teatral e emocional. Você não pode ver, ouvir, cheirar, provar, ou poder de toque, mas você pode sentir isso, e você não pode negar o que você sente nem se pode provar isso para ninguém. Não é todo o sentimento consciência de uma energia indefinível? St. Augustine exortou os cristãos a deixar de depender sussurros do Espírito, porque eles eram demasiado vagas, imprevisível, e além do nosso controle, e sugeriu colocar em seu escritório local e cerimônia, “formas e observâncias”, que podem ser dirigidos e empregados em vai [4].

(versículo 14)

14 E permite, Pai Santo, que a todos os que adorarem nesta casa sejam ensinadas palavras de sabedoria dos melhores livros; e que procurem conhecimento, sim, pelo estudo e também pela fé, como disseste;

 Após estas declarações iniciáticas que começar a trabalhar: o que vamos fazer no templo? Resposta: Estamos “ensinou palavras de sabedoria nos melhores livros,” nós “procuramos aprender sim, pelo estudo e também pela fé, como disseste.” Mas vamos fazer isso no templo? Aparentemente, o que fazemos para isso é equivalente a “adoração nesta casa.” A Escola dos Profetas foi realizada no templo. Central a todos os grandes templos foi a grande biblioteca. O templo é definitivamente uma escola, uma alta escola de estudo intenso, como templos no passado ter sido. Foi no templo que o menino Jesus surpreendeu os sábios com o seu conhecimento das Escrituras. Estudo é pessoal, mas seus próprios pensamentos, que pode ser útil para outras pessoas devem ser trocados como você “ensinar uns aos outros” Learning é um processo de mão dupla. Para que você não ser manter algo de valor trancado em seu seio, o templo dá-lhe a oportunidade de compartilhar o que o excita. As palavras clássicas para a escola são Schole e ludus ; ambos têm o significado básico de jogo, e denotam um lugar de educação liberal, onde nós não nos preocupar com o negócio de ganhar a vida, mas são livres para se sentar, relaxar e trocar idéias.

(versículo 15)

15 E que cresçam em ti e recebam a plenitude do Espírito Santo e organizem-se de acordo com as tuas leis e preparem-se para obter todas as coisas necessárias;

Este versículo é a clássica declaração do propósito da educação: “E que eles possam crescer ,” mas aqui um tipo especial de crescimento. “Crescer em ti e receber a plenitude do Espírito Santo, e ser organizados de acordo com tuas leis e estar preparado para obter todas as coisas necessárias.” Crescimento, plenitude, organização, não organização por causa da organização, mas para acelerar “obter [ndo] todas as coisas necessárias.”para isso, são instruídos a permanecer alerta, preste atenção, e são freqüentemente. Não estamos a sentar-se como sacos de areia, mas receber a plenitude nada deixado de fora, “todas as coisas necessárias”, em suma, tudo o que se é capaz de receber. O Senhor tem muito a dizer sobre sua plenitude. Se eu pudesse fazer mais do que eu estou fazendo, ou transportar mais do que eu estou carregando, e aprender mais do que eu estou aprendendo, etc., estou literalmente rejeitando a plenitude. Esta é uma situação preocupante estabelecido em 3 Néfi 16: 10-11, onde, falando da igreja em nossos dias, o Senhor diz: “Se eles ¡|shall rejeitar a plenitude do meu evangelho, eis que, diz o Pai, eu vou trazer a plenitude do meu evangelho dentre Thema € |and I vai trazer meu evangelho a eles”-ië outro ramo de Israel, os descendentes de Lehi. É a eliminação progressiva ou negligenciando de certas actividades do templo uma rejeição da plenitude? Isso não é para mim decidir.

(versículo 16-19)

16 E que esta casa seja uma casa de oração, uma casa de jejum, uma casa de fé, uma casa de glória e de Deus, sim, tua casa;

17 Que todas as entradas de teu povo nesta casa sejam em nome do Senhor;

18 Que todas as suas saídas desta casa sejam em nome do Senhor;

19 E que todas as suas saudações sejam em nome do Senhor, com mãos santas elevadas ao Altíssimo;

O versículo seguinte recapitula: uma casa de oração, de jejum, de fé, de glória, de Deus. Essas coisas todas juntas. Eles são passos para a exaltação; os preceitos marcar graus distintos ou passos. Este conceito de Gradus ad Parnassum é a raiz da civilização. Com incomings e despesas em nome do Senhor e saudações com as mãos santas erguido nos encontramos em uma sociedade muito especial; aqui estamos realmente entrar em coisas. Todos os templos são marcadas por limites, as estações, os níveis, portas, escadas, passagens, portas, véus, etc., – todos eles denotam ritos de passagem indo de uma condição ou estado para outro, de menor a maior, da escuridão para a luz, uma transição completa de um mundo, teleste ou terrestre, para outro, em última análise, o celeste. Em certas passagens cruciais é preciso identificar-se por uma troca de nomes e símbolos e mostrar-se qualificado por uma troca de palavras. Este era característica de todos os templos antigos. É a origem da tradição hermética que vem até nós em formas alteradas, mas interessantes, como a maçonaria e tais apresentações fantasiosas como a Flauta Mágica, em que o público mórmons reconhecem motivos familiares.

(Versículo 20)

20 E que não se permita que qualquer coisa imunda entre em tua casa para profaná-la;

Nada impuro é permitido entrar na casa e contaminá-la. Impureza e poluição, como estamos cada vez mais conscientes de hoje, não são apenas desagradáveis, mas perigoso. Uma das doutrinas mais marcantes da literatura templo e funerário egípcio é que “poluição” é o nome do mundo telestial. Vivemos em poluição. Tomamos do mundo terrestre, o mundo como Deus o fez, apenas o que nós encontramos saudável, pura e deliciosa-”de toda árvore do jardim comerás livremente” (Gênesis 2:16). Mas o que fazer com ele? O que é que vamos voltar para a terra? Esgoto!

Nesse versículo vemos a dupla função do templo. Ele repele o mal e poluição do mundo carnal como Teflon, enquanto, ao mesmo tempo que exerce uma força gravitacional sobre transgressores, um desejo de “limpar seu ato”, a saber,

(Versículo 21)

21 E quando teu povo transgredir, quem quer que seja, que se arrependa rapidamente e volte para ti e encontre favor a teus olhos e que lhe sejam restituídas as bênçãos que tu ordenaste que fossem derramadas sobre os que te reverenciassem em tua casa.

para “arrepender-se e returnâ € |and ser restaurado.” A sugestão do universo em expansão ou contracção, as funções sempre conflitantes e criativas da radiação e da gravitação, é reforçada no próximo verso em que vemos

(Versículo 22)

22 E rogamos-te, Pai Santo, que teus servos saiam desta casa armados de teu poder; e que teu nome esteja sobre eles e tua glória ao redor deles e que teus anjos os guardem;

o templo como uma supernova, expandindo irresistivelmente em todas as direções como “’teu servantsâ € |go diante desta casa armados com teu poder e que teu nome esteja sobre eles e tua glória ao redor deles, e que o teu anjos os guardem”, isto é, os anjos estão lá para supervisionar a operação mantendo tudo funcionando corretamente-um ensino judaica e cristã antiga.

(Versículo 23)

23 E que deste lugar levem novas sumamente grandes e gloriosas aos confins da Terra, em verdade para que saibam que esta é tua obra e que estendeste a mão para cumprir o que disseste pela boca dos profetas, concernente aos últimos dias.

A grande expansão vai para os limites de tempo e espaço “até os confins da terra” rolamento “excessivamente grande e glorioso € tidingsâ |that tu colocou a tua mão, para cumprir o que disseste.”

(Versos 24-28)

24 Rogamos-te, Pai Santo, que estabeleças o povo que adorará e honrosamente terá um nome e uma posição nesta tua casa por todas as gerações e pela eternidade;

25 Que arma alguma formada contra eles prospere; que o que cavar uma cova para eles, nela caia ele mesmo;

26 Que nenhuma combinação iníqua tenha poder para levantar-se e prevalecer contra teu povo, sobre quem se colocará teu nome nesta casa;

27 E se algum povo se erguer contra este povo, que tua ira se acenda contra ele;

28 E se ferir este povo, tu o ferirás; batalharás por teu povo como o fizeste nos dias de batalha, para que sejam libertados das mãos de todos os seus inimigos.

Entretanto, neste mundo deve servir como uma fortaleza, uma “casa segura”, local abrigado ou empacotamento área-observe os contrafortes e ameias e as paredes do jardim de todos os nossos templos mais antigos. A segurança é garantida pelo próprio Deus, que tanto decidir e executar o que quer ferir e combate precisa ser feito. Nós não têm nem o tempo nem a energia para entrar em combate e contenção foi estritamente proibido em todas as circunstâncias. Todo o mundo se sentiu uma espécie de distanciamento incontestável sobre os nossos templos.

(versículo 29)

29 Rogamos-te, Pai Santo, que confundas e surpreendas e tragas vergonha e confusão a todos os que espalharam relatos mentirosos por toda parte sobre teu servo ou servos, caso não se arrependam quando o evangelho eterno for proclamado a seus ouvidos;

O estado da oposição é ser de espanto e confusão. O trabalho é obrigado a convidar comentários e ficções viciosos. Esta parte da profecia foi cumprida estranhamente, não importa em que posição a igreja encontrou-se-parece que, desde que o projeto vai para a frente ele vai excitar animosidade e resistência. É o trabalho do templo mais do que qualquer outra coisa, como Brigham Young observou, que define todos os sinos do inferno para ringing-”Eu quero ouvi-los tocar novamente!”, Disse [5].

(Versículo 30)

30 E que todas as suas obras sejam reduzidas a nada e varridas pela saraiva e pelos julgamentos que enviarás sobre eles, em tua ira, para que tenham fim as mentiras e calúnias contra o teu povo.

Mas a resistência deve ser frustrado de novo no comment é necessário, mas há uma sugestão de coisas para vir nas convulsões do nosso tempo, quando somos informados de que as suas obras devem ser “varrido pelo granizo.” Isso é sinistro e de forma tão fantástica como ele não soou tão há muito tempo. Hail é o indicador infalível de extremos atmosféricos, como o mundo está enfrentando hoje, pela primeira vez de que estamos conscientes.

(Versos 31-33)

31 Porque sabes, ó Senhor, que teus servos são inocentes perante ti ao prestarem testemunho de teu nome, pelo qual têm sofrido estas coisas.

32 Portanto, te imploramos uma completa e total libertação deste jugo;

33 Retira-o, ó Senhor; retira-o do pescoço de teus servos pelo teu poder, para que nos ergamos no meio desta geração e façamos tua obra.

Esta é a parte histórica, algo de um padrão estabelecido de eventos recorrentes, onde o templo está em causa. Os santos não desfrutar de uma glória das eternidades forma barata; deles é um jugo pesado para suportar. Isto vem quase como um alívio quando percebemos que nós também são obrigados a exercer ao máximo em participar. Quando a construção do Templo de Provo foi entregue aos empreiteiros que colocar sinais que proíbem todos, mas os funcionários da empresa a partir do local de construção, muitos santos dos últimos dias que se lembravam a construção de outros templos sentiu enganado. Desde os tempos mais antigos, a construção do templo tem sido um trabalho em que todos, do rei ao camponês, alegria participaram. Isso poderia levar à confusão desenfreada a menos que o trabalho foi habilmente coordenada e dirigida, o que era. Foi precisamente o exercício exigiu e inspirado pela construção de templos que produziram o planejamento e disciplina que nos deu todas as grandes civilizações do mundo. A pronta e ansiosa excesso de prescrição de dinheiro para a construção de cada templo mostra como todo mundo anseia por ser parte da ação.

(versículo 34)

34 Ó Jeová, tem misericórdia deste povo e, como todos os homens pecam, perdoa as transgressões de teu povo; e que sejam apagadas para sempre.

“Como todos os homens pecam, perdoa as transgressões de teu povo.” A história do templo de Jerusalém foi um dos pecado recorrente e perdoar. Foi enquanto ele estava olhando para o templo que Jesus comentou com os apóstolos, “Jerusalém, Jerusalém, â € |how vezes quis eu ajuntar [você] â € |as a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das asas, e vós seria não!”(Mateus 23:37, ênfase adicionada). Novamente não temos nenhuma causa real para reclamar, nós sabemos onde falhamos. Estas condições tristes apenas enfatizar a grande importância das questões em jogo.

(Versículo 35)

35 Que a unção de teus ministros seja selada sobre eles com poder do alto.

Para levar-nos sobre nós recebemos “anointingâ € |sealedâ € |with poder do alto”. Sem esse poder, não temos nada, como podemos ver claramente quando tentamos colocar no nosso próprio show, como filmes da igreja de vários tipos, incluindo tanto kitsch sentimental com profissionais, não SUD atores depilação emocional sobre situações que eles nunca experimentaram. Ilustrações em manuais de estudo, histórias-repuxa lágrima, fotografias de ordenanças sagradas suffused com luz fosco para torná-los-espiritual que precisamos de toda essa retórica e teatral Hollywood e Disneyland, se temos a coisa real? As sessões do templo mais impressionantes que eu atendi ter sido em Manti, onde idosos pessoas de fazenda colocar em uma tela muito mais inteligente do que os profissionais lisos. Tomamos a coisa real a sério o suficiente?

(versículo 36)

36 Que se cumpra neles, como naqueles no dia de Pentecostes; que se derrame o dom das línguas sobre teu povo, sim, línguas repartidas como que de fogo, e sua interpretação.

“O dom de tonguesâ € |., línguas, mesmo fendidos como de fogo” Esta é uma figura estranha. Para clivar significa tanto para ficar juntos, cola, kleben , etc, e também para dividir ou separar. Uma língua fendido é uma língua solta e articulada. A imagem aqui empregada lembra tanto a espada de dois gumes que é a palavra de ou língua de Deus, que “é viva e eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes, que penetra até dividir as juntas e medulas, alma e espírito.” (D & C 33: 1) [6] e a espada de fogo do Cherubim (kherev significa espada) que se transformou em todas as direções guardando o caminho da árvore de vida.

(Versículo 37)

37 E que tua casa se encha, como com um vento veemente e impetuoso, de tua glória.

O verso seguinte confirma o uso de metáforas onde “línguas como de fogo” é acompanhado pelo recheio da casa “como com um vento veemente e impetuoso.” Havia fogo real ou um vento real? Não, mas havia algo real que pode ser melhor descrita nesses termos. Tudo sobre o templo é simbólica e ainda, como as equações dos cientistas, vai além de meros símbolos, nos oferecendo a olhar para algo que está além. Sabemos que as coisas realmente aconteceu no Templo de Kirtland, onde lemos também de um som como de muitas águas e cabelos como a lã branca.

(Versículo 38)

38 Põe sobre teus servos o testemunho do convênio, para que, quando saírem para proclamar tua palavra, selem a lei e preparem o coração de teus santos para todos esses julgamentos que estás prestes a enviar, em tua ira, sobre os habitantes da Terra, por causa de suas transgressões, a fim de que teu povo não desfaleça no dia da angústia.

A aliança prepara os santos a realizar-se no dia da angústia. Aqui as palavras “vedação” e “ligação” são significativos. “Sele-se a lei”, você selar uma coisa para a preservação dos elementos, os acidentes e os estragos do tempo. Essa é a situação aqui, para que o mundo vai ser um lugar perigoso. O templo está segurando a porta, por assim dizer, durante esta dispensação clímax. Há mais dificuldades para chegar? Onde está o final feliz? É aqui e agora! Enquanto temos o templo, “no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (João 16:33). Enquanto sabemos que o final feliz, podemos antecipar um mundo melhor para vir em nossas visitas ao templo.

(Versículo 39)

39 E em qualquer cidade que teus servos entrarem, e o povo dessa cidade aceitar o seu testemunho, concede a tua paz e a tua salvação a essa cidade; para que eles reúnam os justos dessa cidade, a fim de que venham a Sião ou às suas estacas, os lugares designados por ti, com cânticos de eterna alegria;

Juntando-se os justos fora do mundo das cidades do mundo para a cidade de Sião. Desde os primeiros tempos até mesmo tribos errantes tiveram seus centros sagrados que rapidamente se tornaram cidades. As cidades onde os anciãos têm sucesso são para servir como alimentadores, a Sião, enquanto os anjos destruidores são retidas e os céus escurecem.

(Versículo 40)

40 E até que isso se realize, não permitas que teus julgamentos caiam sobre essa cidade.

Pedimos a Deus para prender fora, enquanto a reunião está acontecendo. Este é o princípio básico com os judeus, a Sodoma e Gomorra situação, contanto que existem pessoas justas para ser salvos, Deus estende o tempo de um mundo perverso. Foi “no decorrer do tempo” que converte de Enoque foram levados até Zion-durou muitos anos (Moisés 7:21).

(Versículo 41)

41 E em qualquer cidade que teus servos entrarem e o povo dessa cidade não aceitar seu testemunho e teus servos exortarem-nos a que se salvem desta geração rebelde, que se faça a essa cidade de acordo com aquilo que disseste pela boca de teus profetas.

Mas no devido tempo e após a devida advertência a todos, Julgamento desce.

(Versículo 42)

42 Mas livra, ó Jeová, nós te imploramos, teus servos de suas mãos e limpa-os de seu sangue.

Aqui podemos entender claramente que ele vai ser uma chamada muito perto.

(Verso 43)

43 Ó Senhor, não nos deleitamos com a destruição de nossos semelhantes; suas almas são preciosas a teus olhos;

E agora vem um-a surpresa prova de fogo da justiça e sinceridade dos Santos. Eles oram para a multidão ímpios: “Ó Senhor, nós não deliciar-se com a destruição de nossos semelhantes; suas almas são preciosas diante de ti.”Nós não cair na fácil tentação, quase irresistível, para classificar a raça humana como bons e maus. Enquanto a seleção está acontecendo, devemos ser tão imparcial quanto possível.

(Versículo 44)

44 Mas tua palavra tem que se cumprir. Ajuda teus servos a dizerem, com o auxílio de tua graça: Seja feita a tua vontade, ó Senhor, e não a nossa.

A decisão é deixada inteiramente ao Senhor: “Tua será feito, ó Senhor, e não a nossa.”

(Verso 45)

45 Sabemos que disseste, pela boca de teus profetas, coisas terríveis concernentes aos iníquos nos últimos dias — que derramarás teus julgamentos sem medida;

Não pode haver dúvida de que “nos últimos dias-que hás de deitar fora os teus juízos, sem medida.”

(Versículo 46)

46 Portanto, ó Senhor, livra teu povo da calamidade dos iníquos; permite a teus servos que selem a lei e liguem o testemunho, a fim de que estejam preparados para o dia da queima.

Nestas condições horrendas, é necessário “permitir que os teus servos para selar a lei, e ata o testemunho, que pode ser preparado para o dia da queima.” Você selar e ligar-se coisas para mantê-los seguros de fogo e inundações, ou em termos náuticos, nós “fechar as portas” para o que está por vir, neste caso a queima-isso pode também ser parcialmente metáfora? Faz pouca diferença. As palavras de vedação e de ligação não são gíria teológicas vago, que, na verdade, quer dizer colocando as coisas de tal condição como para resistir às forças destrutivas violentamente.

(Versículos 47-53)

47 Pedimos-te, Pai Santo, que te lembres daqueles que foram expulsos pelos habitantes do Condado de Jackson, Missouri, das terras de sua herança; e retira, ó Senhor, o jugo da aflição que sobre eles foi posto.

48 Tu sabes, ó Senhor, que eles têm sido grandemente oprimidos e afligidos por homens iníquos; e nosso coração transborda de tristeza por causa de suas penosas cargas.

49 Ó Senhor, até quando permitirás que este povo suporte essa aflição e que os clamores de seus inocentes ascendam a teus ouvidos e que seu sangue suba a ti como testemunho, sem mostrares teu testemunho em seu favor?

50 Tem misericórdia, ó Senhor, da turba iníqua que expulsou o teu povo; que eles cessem de saquear, que se arrependam de seus pecados se lhes for possível arrepender-se;

51 Mas se não o fizerem, desnuda teu braço, ó Senhor, e redime aquilo que estabeleceste como Sião para teu povo.

52 E se não puder ser de outro modo, para que a causa de teu povo não fracasse perante ti, que tua ira se acenda e tua indignação caia sobre eles, para que sejam aniquilados, tanto raízes como ramos, de debaixo do céu;

53 Mas caso se arrependam, és clemente e misericordioso e desviarás tua ira quando contemplares a face de teu Ungido.

Aqui vemos apenas uma tal situação no negócio sombrio do Condado de Jackson. Depois de tudo o que aconteceu Joseph pode orar,

(Versículo 50)

50 Tem misericórdia, ó Senhor, da turba iníqua que expulsou o teu povo; que eles cessem de saquear, que se arrependam de seus pecados se lhes for possível arrepender-se;

“Tem misericórdia, Senhor, sobre os ímpios MOBA € |that eles podem se arrepender de seus pecados, se o arrependimento é para ser encontrado.”

(Versículos 51-52)

51 Mas se não o fizerem, desnuda teu braço, ó Senhor, e redime aquilo que estabeleceste como Sião para teu povo.

52 E se não puder ser de outro modo, para que a causa de teu povo não fracasse perante ti, que tua ira se acenda e tua indignação caia sobre eles, para que sejam aniquilados, tanto raízes como ramos, de debaixo do céu;

Em tal condição climática a decisão é, naturalmente, inteiramente com o Senhor. Ele é convidado

(Versículo 54)

54 Tem misericórdia, ó Senhor, de todas as nações da Terra; tem misericórdia dos governantes de nosso país; que os princípios que foram tão honrosa e nobremente defendidos por nossos pais, ou seja, a Constituição de nosso país, sejam estabelecidos para sempre.

para “ter misericórdia de todas as nações.” De nossa parte, temos o apoio dentro de valor inestimável na “principlesâ € |. [da] Constituição” Joseph explicou a Declaração de Direitos como a expressão desses princípios e o resto da Constituição como proporcionar um meio flexível de sua implementação. Se uma eleição é realizada na segunda-feira ou terça-feira, se um Estado tem duas ou três senadores, se a maioria ou dois terços deve decidir uma questão, estes não são princípios eternos e imutáveis, como a montagem livre, liberdade de religião, liberdade de expressão, etc., em suma agência, livre. [7] (Versiculos 55-56)

55 Lembra-te dos reis, dos príncipes, dos nobres e dos grandes da Terra e de todos os povos e das igrejas, de todos os pobres, dos necessitados e dos aflitos da Terra;

56 Que se abrande o coração deles quando teus servos saírem de tua casa, ó Jeová, para prestar testemunho de teu nome; que seus preconceitos cedam diante da verdade e teu povo obtenha favor aos olhos de todos;

Verse 55 é uma bênção sobre toda a raça humana da “os reis [e] príncipes” para todos “os pobres, os necessitados e os aflitos da terra.” Para suavizar os seus corações “, que seus preconceitos podem dar lugar antes que a verdade, e que o teu povo se obter favor aos olhos de todos.”o Profeta não pede sua destruição, mas para uma mudança de coração. Todos nós devemos viver juntos e o templo não deve alienar ninguém.

(Versos 57-59)

57 Para que todos os confins da Terra saibam que nós, teus servos, ouvimos a tua voz e que tu nos enviaste;

58 Que dentre todos esses, teus servos, os filhos de Jacó, reúnam os justos para construírem uma cidade santa a teu nome, como lhes ordenaste.

59 Rogamos-te que estabeleças outras estacas para Sião além desta, para que a reunião de teu povo prossiga em grande poder e majestade, a fim de que tua obra se abrevie em retidão.

Os funcionários estão indo para os confins da terra e em toda parte em busca da ovelha perdida; este é o momento de ser explodir o planeta. Não só Judá, mas os outros onze tribos edificará a Cidade Santa e quanto mais rápido as apostas crescem mais curto será o tempo. Esta é a coligação de Israel em grande escala. Mas a coisa toda será “abreviada em justiça.” Uma coisa é certa aqui. Nós nunca vão desenvolver Zion fora da atual ordem das coisas, como muitos são tentados a acreditar durante nossas curtas períodos de prosperidade.

(Vers 60-61)

60 Agora, ó Senhor, estas palavras proferimos diante de ti a respeito das revelações e mandamentos que nos deste, a nós que somos identificados com os gentios.

61 Mas sabes que tens um grande amor pelos filhos de Jacó, os quais por longo tempo têm estado dispersos pelas montanhas, em um dia nublado e de escuridão.

A reunião é de uma série de frentes. Embora nós “são identificados com os gentios”, há “muitos filhos de Jacob, que foram espalhadas pelos montes.” O encontro é uma operação complexa que implica a cooperação dos gentios, Israel, os judeus, eo sangue muito misturado de Lehi. Isso nos remete a Doutrina e Convênios 49:24: “Mas antes do grande dia do Senhor virá, Jacó prosperará no deserto e os lamanitas florescerão como a rosa. Sião florescerá nos outeiros e se alegrar sobre os montes, e será reunida no lugar que designei. Sair como eu vos tenho mandado.”E assim nós temos um círculo completo.

(Versos 62-64)

62 Rogamos-te, portanto, que tenhas misericórdia dos filhos de Jacó, para que Jerusalém, desta hora em diante, comece a redimir-se;

63 E o jugo da servidão comece a retirar-se da casa de Davi;

64 E os filhos de Judá comecem a regressar às terras que deste a Abraão, seu pai.

Este foi o tempo em que viu a fundação do sionismo aos primeiros sinais de retorno final dos judeus para a Palestina “, que Jerusalém, a partir dessa hora, pode começar a ser resgatados, â € |and o filhos de Judá pode começar a regressar às terras que fizeste dar a Abraão, seu pai.”

(Versos 65-66)

65 E faças com que os remanescentes de Jacó, que foram amaldiçoados e feridos por causa de suas transgressões, convertam-se de sua condição indômita e selvagem à plenitude do evangelho eterno;

66 Que deponham suas armas de carnificina e cessem suas rebeliões.

“Que os restos de Jacob [os índios] â € |be convertido de sua condição selvagem e selvagem à plenitude do evangelho eterno.” Maravilhosamente profética: “No dia em que os gentios pecarem contra meu evangelho e rejeitarem a plenitude do meu gospelâ € |behold, diz o Pai, eu vou trazer a plenitude do meu evangelho dentre eles. E então me lembrarei do meu pacto, que fiz para os meus peopleâ € |and I vai trazer meu evangelho a Thema € | Os gentios não terão poder sobre você; mas eu me lembrarei do meu pacto com você, ó casa de Israel, e vos venham ao conhecimento da plenitude do meu evangelho”(3 Néfi 16: 10-12).

(Versículo 67)

67 E que todos os remanescentes dispersos de Israel, que foram impelidos para os confins da Terra, conheçam a verdade, creiam no Messias e sejam redimidos da opressão e regozijem-se perante ti.

Refere-se a “todos os restos dispersos de Israel, que foram expulsos para os confins da terra.” Não há necessidade de olhar em um só lugar, ou para discutir sobre onde eles estão.

(Versos 68-73)

68 Ó Senhor, lembra-te de teu servo Joseph Smith Júnior e de todas as suas aflições e perseguições — como ele fez convênio com Jeová e um voto a ti, ó Poderoso Deus de Jacó — e dos mandamentos que lhe deste; e de que sinceramente se tem esforçado para fazer a tua vontade.

69 Tem misericórdia, ó Senhor, de sua esposa e filhos; para que sejam exaltados em tua presença e preservados por tua mão protetora.

70 Tem misericórdia de todos os seus parentes próximos, que seus preconceitos sejam derrubados e varridos como que por uma inundação; que se convertam e sejam redimidos com Israel e saibam que tu és Deus.

71 Lembra-te, ó Senhor, dos presidentes, sim, de todos os presidentes de tua igreja, que tua mão direita os exalte com todas as suas famílias e seus parentes próximos; que se perpetuem seus nomes e que se conservem na lembrança eternamente, de geração em geração.

72 Lembra-te de toda a tua igreja, ó Senhor, com todas as suas famílias e todos os seus parentes próximos, com todos os seus enfermos e aflitos, com todos os pobres e mansos da Terra; para que o reino que estabeleceste sem mãos se transforme em uma grande montanha e encha toda a Terra;

73 Que tua igreja saia do deserto da escuridão e resplandeça formosa como a lua, brilhante como o sol e terrível como um exército com estandartes;

Este é o trabalho de Joseph Smith e seus irmãos na liderança sua parte do encontro “, fora do deserto de darknessâ € | [a] resplandeça formosa como a lua, brilhante como o sol, terrível como um exército com bannersâ € do |adorned como uma noiva para o dia em que hás de desvendar os céus.”O imaginário apocalíptico aqui sempre sugeriu mais do que mera imaginação. O panorama grandioso do trabalho que está acontecendo é mais grandioso do que qualquer um poderia supor. Isto é seguido por uma imagem igualmente impressionante do estado do mundo. Os santos tiveram um papel a desempenhar neste processo, para ser responsável para a igreja quando serem líderes implicou especial PERIGO”Lembra-te, Lorda € |all os presidentes das tuas € Churcha |and suas conexões imediatas“. Por isso, os presidentes e suas famílias necessitam de uma atenção especial.

(Versículo 74)

74 E adorne-se como uma noiva para o dia em que desvendares os céus e fizeres com que os montes escoem em tua presença e os vales se exaltem e os lugares acidentados se aplainem, a fim de que tua glória encha a Terra;

que flui montanhas e vales exaltados sempre soou extravagante, mas hoje como vemos nossas documentários de ciência e vê a instabilidade dos elementos com movimentos tectônicos e perturbações vulcânicas, que não têm tanta certeza.

(Versículo 75)

75 Para que, quando a trombeta soar para os mortos, sejamos arrebatados na nuvem para encontrar-te e estejamos com o Senhor para sempre;

Aqui temos a ruptura final com este mundo como nós o conhecemos. A separação e a união são ambos finalmente concluído e assim encontramos

(Versículo 76)

76 Que nossas vestes sejam puras, que nos trajemos com mantos de retidão, com palmas em nossas mãos e coroas de glória em nossa cabeça; e colhamos alegria eterna por todos os nossos sofrimentos.

os santos na glória depois de terem sido apanhados para outra esfera.

(Versos 77-78)

77 Ó Senhor Deus Todo-Poderoso, ouve estas nossas súplicas e responde-nos do céu, tua santa habitação, onde te assentas entronizado, com glória, honra, poder, majestade, força, domínio, verdade, justiça, juízo, misericórdia e plenitude infinita, de eternidade em eternidade.

78 Ó ouve, ó ouve, ó ouve-nos, ó Senhor! E responde a estas súplicas e aceita a dedicação desta casa a ti, obra de nossas mãos, que construímos ao teu nome;

oração de Adão é repetido três vezes, temos um círculo completo e chegou a “uma infinidade de sua plenitude.” Uma vez que não há fim para a plenitude, não haverá fim para o que somos capazes de receber, contanto como não rejeitá-la!

(Vers 79-80)

79 E também esta igreja, para que se ponha sobre ela o teu nome. E ajuda-nos, pelo poder de teu Espírito, para que misturemos nossa voz aos brilhantes e resplandescentes serafins que cercam teu trono com aclamações de louvor, cantando: Hosana a Deus e ao Cordeiro!

80 E que estes, teus ungidos, vistam-se de salvação e teus santos gritem de alegria. Amém e Amém.

O fim e objecto de tudo-se misturar com os Deus. Para voltar à sua presença e partilhar da vida eterna.

__________

Notas

 [1] Ver, por exemplo , Ensign (Março de 1993).
 [2] Hugh Nibley, “Looking Backward,” in The Temple in Antiquity, ed. Truman G. Madsen (Salt Lake City: Bookcraft, 1984), 39—51.
 [3] Cf. Bruce R. McConkie, ed., Doctrines of Salvation: Sermons and Writings of Joseph Fielding Smith 3 Vols. (Salt Lake City: Bookcraft, 1955), 2: 208—9.
 [4] Hugh Nibley, The World and The Prophets (Salt Lake City: Deseret Book and the Foundation for Ancient Research and Mormon Studies, 1987), 243—48.
 [5] Journal of Discourses, 8:355—56.
 [6] Cf. sections 6, 11, 12, and 14, the second verse in each case.
 [7] Joseph Fielding Smith, ed., Teachings of the Prophet Joseph Smith (Salt Lake City: Deseret Book, 1976), 147, 326f.

 

FONTE: Neal A. Maxwell Institute for Religious Scholarship

SUDBR © 2017. A visão exposta no artigo representa a opinião do autor e não necessariamente a posição da Igreja. Este website não é afiliado ou propriedade de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Para a posição oficial da igreja acesse LDS.org site oficial; Veja também os links no artigo.


Você pode gostar...

SUDBR © 2017. Todos os Direitos Reservados. É proibída a reprodução total o parcial do conteúdo sem autorização expressa do Editor. O material disponível para download é para uso pessoal sem fins lucrativos, você não está autorizado a distribuir este(s) arquivo(s) de qualquer forma seja eletronicamente ou por qualquer outro meio.


COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 Resultados

A visão exposta nos comentários não representa necessariamente a posição da Igreja. Os comentários também não representam a opinião do SUDBR. A responsabilidade é inteiramente do autor do comentário. Leia nossa Política de Comentários


  1. IVAN CRUZ disse:

    Muito obrigado pelos esforços em nos trazer essas maravilhas da restauração. Continuem o bom trabalho por favor.

  2. Maxwell disse:

    Muito interessante o texto, muito boa a iniciativa.

    Uma coisa ficou notória, infelizmente houve muito erro de tradução ou der concordância, acredito que por conta da tradução, teria possibilidade de revisar?
    Me proponho a revisar caso deseje.

    Um grande abraço.

  3. claudio donizete grillo disse:

    essa tradução ta muito ruim. desculpe